segunda-feira, 27 de junho de 2011

LINCE IBÉRICO - ESPÉCIE CRITICAMENTE EM PERIGO (CR)

Lince-Ibérico (foto 1)
O Lince Ibérico pertence à
Classe - Mammalia (Mamíferos)
Ordem - Carnívora (Carnívoros)
Família – Felidae (Felídeos)
Género - Lynx
Espécie - Lynx pardinus 

Nomes comuns - Lince-ibérico, Liberne, Gato-Bravo

Lince-Ibérico (foto 2)

As suas Dimensões são: Comprimento do corpo 80 a 110 cm e Peso 10 a 13 kg.
O Lince Ibérico é um Felino de pelagem castanho-amarelada com pintas negras e cauda curta com a ponta preta. As orelhas nas extremidades possuem pêlos rígidos em forma de pincel e longas patilhas que crescem ao longo do tempo. Os membros são robustos, sendo os posteriores mais longos, conferindo ao animal grande capacidade de impulsão, enquanto os anteriores são mais curtos e fortes sendo utilizados para capturar presas.
Lince à caça (foto 3)

A sua área de distribuição está exclusivamente confinada à Península-Ibérica.
É um Carnívoro essencialmente nocturno e um trepador exímio, podendo deslocar-se por dia cerca de 7 km. A sua alimentação baseia-se na sua grande maioria em coelhos-bravos, mas também fazem parte da sua dieta roedores, aves e crias de cervídeos entre outros. O seu habitat de preferência é constituído por matagais mediterrânicos, matos densos e bosques.

Os acasalamentos do Lince Ibérico são pouco frequentes e dão-se entre Janeiro e Março e o seu período de gestação varia entre 63 e 74 dias. O número de crias que nascem é entre 1 e 4 crias. Sendo o mais normal nascerem apenas 2 crias por casal, as quais recebem cuidados unicamente da mãe durante mais ou menos 1 ano, altura em que se tornam independentes e abandonam então o grupo familiar.

Lince Bébé (Foto 4)

Linces bébés (foto 5)
Como Estatuto de Conservação - O lince-ibérico é actualmente o felino mais ameaçado do mundo e encontra-se classificado como Espécie Criticamente em Perigo (CR) pelos Livros Vermelhos de Portugal e pela UICN, onde estão incluídos as espécies que enfrentam um risco extremamente elevado de extinção na natureza. O Lince também se encontra protegido pela Convenção de Berna (Anexo II) e pela Convenção que regulamenta o Comércio de Espécies Selvagens (CITES - Anexo I A). Também é considerado pela Directiva Habitats como uma Espécie Prioritária.

Como principais ameaças à sua sobrevivência destacam-se a fragmentação das áreas de habitat favorável, a significativa regressão das populações de coelho-bravo (Oryctolagus cuniculus) e a ainda a mortalidade não natural. Existem ainda outras ameaças como a utilização de armadilhas, a caça ilegal e os atropelamentos acidentais.
Em Portugal a regressão desta espécie teve inicio com a chamada "campanha do trigo" na década de 1930/1940. Nessa altura o seu habitat foi bastante reduzido. Mais tarde, veio a contribuir para a continuação da regressão do Lince a drástica redução das populações de coelhos-bravos, vítimas de doenças como a mixomatose e a febre hemorrágica viral.  Desde 1970, com a instalação de grandes manchas de floresta de produção de pinheiros e eucaliptos, as áreas de refúgio do lince-ibérico foram ainda mais drasticamente reduzidas. As barragens e a expansão da rede viária, agravaram ainda mais esta situação. Desde então, as populações desta espécie nunca mais voltaram a recuperar e nos anos 80 temia-se já que apenas existissem 50 indivíduos em território nacional. 

 Em Portugal a LPN (Liga de Protecção da Natureza) em parceria com a Organização Internacional Fauna & Flora (FFI), lançou em 2004 o PROGRAMA LINCE. Este programa conta com a participação e o respectivo apoio técnico e científico de um grupo composto pelos principais especialistas nesta espécie em Portugal. No âmbito deste programa a LPN desenvolveu projectos como o PROJECTO LIFE, que tem como principal objectivo a recuperação do habitat natural do Lince Ibérico. Por seu lado o Centro de Reprodução do Lince-Ibérico de Silves (CNRLI) tem como objectivo fazer com que os Linces reprodutores em cativeiro se reproduzam em território nacional.
Lince no Centro de Conservação de El Acebuche
No Parque Natural de Doñana - Espanha (foto 6)

Muita Luz!

Autores das Imagens e sites de onde foram retiradas:
Foto 1- retirada do blog http://temavondo.blogs.sapo.pt/2005/04/  publicada por André.
Fotos 2 e 3 - "Programa de Conservación Ex-situ del Lince Ibérico www.lynxexsitu.es"

 

2 comentários:

  1. Amiga ótima postagem!!!!
    Vamos rezar sempre pela evolução. Para o Ser Humano se concientizar que ele é mais um no planeta, e não o dono do planeta.
    Beijos com cheirinho de grama.
    Lua.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Lua, temos mesmo de mudar a maneira como tratamos o nosso planeta e os animais.
    Beijinhos ensolarados.
    Ana Maria

    ResponderEliminar

Obrigado, o seu comentario estará visível após aprovação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...