sexta-feira, 22 de maio de 2015

DIA INTERNACIONAL DA DIVERSIDADE BIOLÓGICA - 22 DE MAIO


Comemora-se hoje o Dia Internacional da Diversidade Biológica, este ano o tema incide sobre a Biodiversidade para o crescimento sustentável, uma vez que este é vital para o desenvolvimento e futuro da própria humanidade. Este tema reflecte a importância dos esforços efectuados aos vários níveis, no sentido de conseguir estabelecer toda uma série de Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, como parte da Agenda de Desenvolvimento das Nações Unidas para o período de 2015-2030, bem como a extrema importância da Biodiversidade para alcançar o desenvolvimento sustentável da humanidade. 

De acordo com as Nações Unidas, o futuro da humanidade está intimamente ligado à diversidade biológica, sendo a biodiversidade um recurso vital para a economia, tanto a nível global como a nível local. A produção de alimentos depende da biodiversidade em que as comunidades estão inseridas, bem como dos recursos que os ecossistemas fornecem, sendo que uma biodiversidade saudável, possuí a capacidade de fornecer bens e criar serviços essenciais à vida na terra, entre muitos como os nutrientes, a água ou o ar limpo. Quando estas condições não se verificam, a existência de vida na terra fica comprometida, não só actualmente mas também num futuro próximo. 

Apesar de todas estas medidas e tomadas de consciência o facto é que actualmente e cada vez mais se verifica a nível mundial a perda de Diversidade Biológica, como sejam as espécies, o património genético ou os ecossistemas, entre outros com tendência para o agravamento desta situação inclusivamente na europa, onde esta perda se deve principalmente ao impacto da actividade humana, nomeadamente através da adopção de certas práticas agrícolas, ao desenvolvimento da urbanização, ao turismo em massa e à poluição do ar e da água. 

Na Europa praticamente quase metade das espécies de pássaros existentes estão protegidas através de programas de protecção a espécies ameaçadas, apesar disso os seus habitats encontram-se extremamente vulneráveis e ameaçados devido em grande parte à agricultura intensiva, ao sobre pastoreio, bem como ao uso de fertilizantes químicos e pesticidas. 
Esta semana foi divulgado o Relatório de Estado da Natureza na União Europeia que revela que 17% das espécies incluindo algumas aves de rapina, estão ameaçadas, sendo que outras 15% estão perto de ameaça ou mesmo em declínio. Entres estas estão algumas espécies como a Cotovia. Isto porque muitos habitats naturais apresentam graves problemas com o seu estatuto muito comprometido, nas zonas de pastagem, nas zonas húmidas e dunas. 

A nível marinho 80% do lixo que se encontra nos mares, tem origem em terra. A medida legislativa agora adoptada de taxação sobre os sacos de plásticos leves em Portugal, espera-se poder contribuir para a prevenção e diminuição da poluição marítima deste tipo de resíduos que se verifica nos oceanos. São medidas como esta que aos poucos poderão reverter a situação em que nos encontramos actualmente.

Convém lembrar que a Diversidade Biológica está interligada ao próprio conceito de Desenvolvimento Sustentável, pelo que, para satisfazer as necessidades das actuais gerações, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades, temos de Preservar e Proteger os recursos naturais existentes, bem como a Biodiversidade.

AnaMaria

MUITA LUZ!

(Imagens retiradas de pesquisa na net, desconheço os seus autores.)

segunda-feira, 18 de maio de 2015

ORIGEM DO TAOISMO E LAO TSÉ


Segundo lendas e tradições chinesas, o vale do Rio Amarelo era habitado desde 3000 a.C. por agricultores e artesãos que cultivavam milho e criavam aninais, tias como porcos, cabras e cães. Já dominavam a técnica do bronze, que utilizavam para o fabrico de armas e utensílios que necessitavam na sua vida quotidiana. Tal como os Egípcios desenvolveram técnicas que lhes permitia controlar o regime das águas, como a construção de diques e canais de rega. Os chineses consideravam-se autóctones, oriundos da “Grande Planície” da bacia inferior do Hoang-Ho. Descendendo muito provavelmente dos povos da Ásia Central e da Mongólia. Ao longo do tempo, foram formando pequenos estados independentes, mas rivais entre si. Ameaçados pelos Mongóis, um povo de forte tradição guerreira, unificaram-se juntando-se e constituindo um só Império sob a Dinastia de Chou. Nesta altura a família era a base da sociedade chinesa e desempenhou um papel crucial tanto na organização política, como na unidade religiosa e ainda na educação moral. O primeiro soberano Chou foi WU WANG, que fundou várias escolas e hospitais. As principais actividades foram o cultivo do arroz, o fabrico da seda, a cunhagem de moedas e a regularização do calendário, entre outras. Durante os vários regimes monárquicos, os Imperadores eram considerados “Filhos do Céu”, intermediários entre a divindade e o povo. Mas na realidade a autoridade política dos seus ministros letrados era bem maior que as suas. Os Mandarins, era o título dado aos administradores, que organizavam todo o trabalho da população, fixavam os preços a pagar, estabeleciam os calendários das actividades e das festas. Escreviam ainda tratados comerciais muito importantes na época e poesia, tendo mesmo aprimorado a caligrafia sobre tábuas de bambu e de rolos de seda. Com a deterioração da Dinastia Chou, começou então a surgir todo um sistema de estados feudais com alguma ligação entre si, mas que se empenhavam fortemente em sucessivas guerras, piorando deste modo drasticamente a situação da população em si. O que originou a que o povo estivesse cada vez menos disposto a submeter-se a jogos de poder e a sofrer silenciosamente, é neste contexto que surgem as “Cem Escolas”, sendo que a maior parte delas não prevaleceu no tempo, mas os Mestres de duas delas destacaram-se e 2 000 anos depois ainda têm uma forte influência na sociedade chinesa e não só. São eles Confúcio e Lao Tsé. Confúcio, foi um Mandarim que terá vivido entre 551 e 479 a.C sendo o iniciador de uma Doutrina segundo a qual se conseguia a sabedoria seguindo a experiência e os ensinamentos dos seus antepassados e dos grandes monarcas. Possivelmente contemporâneo de Confúcio, Lao Tsé foi sem dúvida um dos mais elevados seres dentre os que habitaram na terra. 
A história de vida pouco conhecida de Lao Tsé, vou deixar para outro dia, visto que hoje já me entusiasmei um pouquinho. 

Deixo-vos aqui um dos pensamentos do grande Mestre:

“Os viajantes sábios não deixam rasto.
As palavras sábias não deixam mancha.
Contas certas não necessitam de instrumentos.
As portas bem feitas não se deixam trancar,
Mas também não se deixam abrir.
Um nó bem dado não precisa de corda,
Mas também não se consegue desatar.

Assim,
O sábio salva sempre as pessoas,
Não rejeitando ninguém,
Nenhum ser é abandonado.
Esta é a prática de voltar à luz.

Assim,
Aquele que é bom
É o guia daquele que o não é;
E aquele que não é bom
É o campo de trabalho do homem bom.

Ficarão perdidos
Aqueles que não veêm valor no Mestre
E também os que não cumprem os seus deveres.

A isto podemos chamar o mistério maior.”
Lao Tsé


MUITA LUZ!

Fontes: Imagem retirada de pesquisa na net, desconheço o seu autor.
Texto sobre o taoísmo, extraído de livro “Taoísmo”da autoria de QuidNovi.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...