sexta-feira, 31 de julho de 2015

O RAPAZ E O ANEL - PARÁBOLA



Um jovem procurou o seu Mestre porque se sentia um inútil. Achava-se lerdo, não conseguia fazer nada bem, achava que não prestava para nada. Desejava saber como poderia melhorar e o que deveria fazer para que o valorizassem.
O Mestre, sem o olhar, disse-lhe: "sinto muito, mas antes de resolver  o seu problema preciso resolver o meu próprio problema. Talvez você me possa ajudar".
Tirou um anel que usava no dedo pequeno e deu-o ao rapaz, recomendando: "vá até ao mercado; preciso de vender este anel porque tenho que pagar uma  dívida. É preciso que você consiga por ele o máximo, mas não aceite menos do que uma moeda de ouro".
O rapaz pegou no anel e foi oferecê-lo aos mercadores. Eles olhavam com algum interesse, mas quando ele dizia o quanto pretendia pelo anel, desistiam.
Quando ele mencionava uma moeda de ouro, alguns riam, outros saíam sem  ao menos olhar para ele. Somente um velhinho muito amável lhe explicou que  uma moeda de ouro era muito valiosa para aquele anel.
Abatido pelo fracasso, o rapaz retornou à presença do Mestre dizendo  que o máximo que lhe ofereceram foi duas ou três moedas de prata. Ouro, nem pensar!
O dono do anel respondeu que seria importante, então, saber o valor  exacto do anel. Sugeriu que o jovem fosse ao joalheiro para fazer uma correta avaliação. E fez outra recomendação: não importa o valor que lhe ofereçam, não venda  este anel.
O jovem foi um tanto desanimado. O joalheiro, depois de examinar com  uma lupa a jóia pesou-a e disse-lhe: "diga ao seu Mestre que, se ele  quiser vender agora, não lhe posso dar mais do que cinquenta e oito moedas de ouro".
O rapaz teve um sobressalto: "cinquenta e oito moedas de ouro?".
"Sim", retornou o joalheiro. "Com tempo eu poderia oferecer cerca de  setenta moedas. Mas, se a venda é urgente...".
O discípulo recusou a oferta e voltou correndo para dar a boa notícia ao Mestre. Depois de ouvi-lo, o Mestre disse: "sente-se, meu rapaz.  Você é como este anel, uma jóia única e valiosa. Como toda a jóia preciosa,  somente pode ser avaliada por quem entende do assunto. Por acaso você imaginou que qualquer um poderia descobrir o seu verdadeiro valor?".
Tomando o anel das mãos do rapaz, tornou a colocá-lo no dedo, completando:  "Todos somos como esta jóia: muito valiosos. No entanto, andamos por  todos os mercados da vida pretendendo que pessoas inexperientes nos  valorizem".
Pense: ninguém nos pode fazer sentir inferiores sem nosso consentimento!

Votos de um fim-de-semana Iluminado.

MUITA LUZ!

quarta-feira, 29 de julho de 2015

CHICO XAVIER - ESCADA DE LUZ


Efectivamente, você ainda não resplandece tanto quanto a luz, mas pode acender uma vela, afastando as sombras.
Não importa quanto você disponha para agir e servir, a benefício de outrem. Vale o que fizer e como fizer daquilo que o Senhor já confiou a você.
Dizem os sábios que Deus dá o frio, conforme o cobertor, para que o Homem saiba dar o cobertor, conforme o frio.
Por onde você passe e do tamanho que possa, deixe um rastro de alegria.
Você voltará, mais tarde, para colher-lhe a bênção da luz.
Francisco Cândido Xavier

Extraído Do livro "Escada de Luz".

MUITA LUZ!

terça-feira, 28 de julho de 2015

PITOHUI –O 1º PÁSSARO VENENOSO DESCOBERTO NA PAPUA NOVA GUINÉ

Foi descoberto em 2013 nas florestas da Papua Nova Guiné, um pássaro fora do normal, que possui uma defesa química única na história das aves. Durante a sua expedição às florestas da Nova Guiné, Jack Dumbacher, investigador da Academia de Ciências da Califórnia, foi arranhado por uma ave muito colorida e diferente. Tratava-se então de uma das espécies de Pitohui, o 1º pássaro venenoso a ser documentado na história do nosso planeta. 
Dumbacher sentiu ele próprio os efeitos da toxina existente nesta ave, quando ao sentir dor na mão após ser arranhado pelo pássaro, levou a mão à boca e chupou o dedo, foi exactamente nessa altura que começou a sentir a boca dormente, a formigar e a queimar, quando foi alertado por indígenas da região de que se tratava de uma ave venenosa (ainda então desconhecida da ciência, mas largamente conhecido das populações indígenas).


De acordo com os cientistas, o veneno desta ave encontra-se localizado na sua pele e nas suas penas. É uma toxina chamada homobatracotoxina , que também se pode encontrar nos sapos da América do Sul, mas em muito menor quantidade e que possui a capacidade de provocar paralisia nos seres vivos, incluindo nos músculos do coração, podendo mesmo em quantidades maiores provocar a própria morte.

O Pitohui utiliza esta toxina para se defender dos seus predadores, ou para caçar. O envenenamento ocorre quando a homobatracotoxina entra em contacto com a boca, olhos, mucosas nasais ou através da pele ferida da vítima e que quase instantaneamente começa a sentir dormência e paralisia no local tocado pelo pássaro. O factor mais curioso é que o facto de eles possuírem este veneno, se deve à sua alimentação, visto que o Pitohui se alimenta quase exclusivamente de besouros da família Melyridae os quais são só por si uma fonte poderosa da toxina homobatracotoxina. O mesmo factor comum existe com os sapos da América do Sul, pois consomem os mesmos insectos.

Os cientistas alertam para que nem todas as espécies de pitohuis são necessariamente venenosas, dando instruções de que as aves que possuem as cores mais escuras são as mais perigosas. No entanto fica aqui o alerta, apesar de lindas e magníficas, se der de caras com um desses pássaros na dúvida, fique bem longe deles, afinal ficar paralisado mesmo que por instantes não compensa, não é mesmo?

MUITA LUZ!

Fotos retiradas de:



sexta-feira, 24 de julho de 2015

TEMPO

Vivemos cada vez mais num mundo sem tolerância, apressado e rápido, onde a sociedade sofre de um gosto absurdo pelo supérfluo, envolto num tempo fugaz e também ele ao mesmo tempo bipolar. Somos arrastados pelas multidões que nos envolvem em explicações inexplicáveis, sem nexo, nem humanidade. Vivemos num tempo de insegurança, competitividade, julgamentos, muita concorrência e uma imensa globalização. Talvez por tudo isto se torne imperioso procurar nesta loucura tempos de Paz, Harmonia, Meditação e explicações mais simplistas e singelas do mundo que nos rodeia. Este é o tempo certo para se deixar apaixonar e fascinar por novas atitudes, ideais, por nós mesmos. É tempo de darmos ao nosso organismo uma pausa, dedicar-lhe um momento, partilhar-lhe um segredo. É tempo de fugir do tempo, de relaxar, de abrandar nem que seja por meros instantes e mudar qui ça, o rumo das nossas vidas. É tempo de nos resgatarmos a nós mesmos, confiantes de que o vamos conseguir não num futuro próximo, mas agora neste preciso instante. E depois disso feito sinta a ternura de se amar a si e aos outros incondicionalmente, sinta que as diferenças, as divergências diárias, não passam disso mesmo. Sinta que o ser que habita em nós ao encontrar os seres que habitam nos outros, se educam mutuamente e infinitamente, num aprendizado constante e permanente que gira e evolui como a própria vida.
                      AnaMaria
Namasté

MUITA LUZ! 

terça-feira, 14 de julho de 2015

DIGA NÃO AO DESPERDÍCIO DE COMIDA

Existe uma receita que permitiria alimentar muitas pessoas no mundo, evitar o desperdício de alimentos. Sabia que um terço de todos os alimentos produzidos é desperdiçado? Incrível mas é verdade. Em França uma mobilização de gente decidida a mudar o rumo das coisas, conseguiu fazer aprovar uma lei que obriga os supermercados a doarem os produtos que não são vendidos a pessoas carenciadas e sem abrigo. Neste momento decorre uma pesquisa na União Europeia, para tentar descobrir a realidade da Europa, no sentido de conseguir também aqui reduzir para metade o desperdício de alimentos. O tempo é crucial para fazermos ouvir a nossa voz.


A título de curiosidade, sabia que Portugal só na distribuição para os hipermercados e cadeias de supermercados perde cerca de 298 mil toneladas de alimentos e que o consumidor desperdiça 324 mil toneladas de alimentos por ano?

E no Brasil, sabia que 20% dos alimentos são desperdiçados na colheita, porque simplesmente os alimentos não têm a cor desejada e o calibre pretendido e que 20% também se perde devido aos maus hábitos alimentares e ao seu processamento por parte dos consumidores?

 Sabia que o desperdício de alimentos, com o seu acumulamento nas lixeiras e aterros sanitários  é a 3ª causa de emissão de carbono para a atmosfera no mundo?

A ONU tem como meta reduzir o desperdício de alimentos até 2030. Na trajectória da história da humanidade, a igualdade de direitos e o acesso a formas de vida dignas e sustentáveis, sempre foi uma prioridade para várias organizações mundiais, é importante e urgente pois que se encontrem formas de minimizar o desperdício de alimentos em todo o mundo, que se despertem consciências de modo a podermos alimentar quem neste momento sofre de fome, seja porque motivos for, não é minimamente aceitável, nem humano.


A AVAAZ iniciou uma petição contra o desperdício mundial de alimentos, na esperança de juntar milhões de assinaturas, para depois enviar essa petição para a União Europeia de modo a obrigar os vários Países a adoptarem medidas preventivas, tais como obrigarem as grandes superfícies a doarem os alimentos que não são vendidos para as pessoas mais pobres e carenciadas, entre outras. Pedindo ao mesmo tempo que sejam lançados planos de acção nacionais para alcançar a meta estabelecida pelas Nações Unidas para reduzir os desperdícios alimentares até 2030. Cerca de 957 mil pessoas já assinaram, assine você também e ajude a reduzir o desperdício de comida no mundo.


 Obrigada pela sua ajuda, o seu contributo é muito importante.

MUITA LUZ!

Imagens retiradas de pesquisa na net, desconheço os seus autores

terça-feira, 7 de julho de 2015

BODAS DE PRATA


Hoje celebro 25 de casada. Pois, nem parece que já passaram 25 olhando para trás fico com a sensação de que abri a porta da minha nova casa e acabei de entrar, sinto-me na mesma. O meu casamento não é feito de perfeições, de casa arrumada com tudo no sítio, ou de harmonia plena sem discussões, não. O meu casamento tem sido construído com discussões de vez em quando, casa desarrumada e chatices, mas acima de tudo o meu casamento tem sido um aprender constante a toda a hora, um aperfeiçoar das nossas personalidades, um moldar às vicissitudes da vida. Aprendi muito ao longo destes 25 anos de casamento com o meu marido e acredito que o meu marido também aprendeu muito comigo, temos crescido juntos e caminhado ao lado um do outro às vezes sem falar, é verdade mas com atitudes e preocupações um para com o outro constantes. A nossa grande alegria são os filhos, partilhamos a sua educação e acompanhamos de perto as suas aventuras e alegrias e tristezas na vida, estamos juntos para o melhor e para o pior. O melhor de nós, os filhos, que ontem não eram assim tão grandes, e cheios de opiniões, sempre a cirandar pela casa toda. Sempre a preencher os nossas dias e completando-nos a cada hora. É assim que tem sido e que continuará a ser. Se sou feliz, não sei, depende do conceito que cada um faz de felicidade, para mim ser feliz, é poder sentir que a minha casa é onde está a minha família, sentir um calor muito especial quando estamos todos juntos e saudades deles todos quando estamos separados, então eu sou Feliz!

Agradeço à Deusa, a Deus, agradeço lá em cima todos os dias, porque sou abençoada por esta família linda que criei com o meu marido. Por os meus filhos serem uns seres humanos incríveis, bem formados e com compaixão e amor por todos os seres sencientes. É o legado que deixamos aqui, é a nossa maior riqueza.


Olhando para trás não podia ter escolhido melhor pai para os meus filhos, sempre presente, cuidadoso e com paciência para tudo o que pedem, tentando sempre lhes dar o melhor, mas exigente quando é preciso. Obrigada por estes 25 anos de casamento, que venham muitos mais juntos, com brigas e desacordos, com risos e gargalhadas, com alegrias e tristezas, porque afinal o casamento é isso tudo, somos nós os dois juntos, dois seres diferentes com o mesmo sonho, criar uma família com dignidade. 

Amo-te Muito!

AnaMaria

“O amor só é amor, se não se dobra a obstáculos e não se curva a vicissitudes... é uma marca eterna... que sofre tempestades sem nunca se abalar.
(William Shakespeare)

MUITA LUZ!

sexta-feira, 3 de julho de 2015

COMPAIXÃO

 Com Compaixão
Todos Falamos a Mesma Linguagem.

“Amor e Compaixão,
São Necessidades, Não Luxos.
Sem Eles a humanidade
Não Pode Sobreviver.”
Dalai Lama

Um Bom Fim-de-semana


MUITA LUZ!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...