domingo, 24 de novembro de 2013

ABRACADABRA

Thou shalt on paper write the spell divine,
Abracadabra called, in many a line,
Each under each in even order place,
But the last letter in each line efface.
As by degrees the elements grow few
Still take away, but fix the residue,
Till at the last one letter stands alone,
And the while dwindles to a tapering cone.
Tie this about the neck with flaxen string,
Mighty the good ‘twill to the patient bring.
Its wondrous potency shall guard his head.
And drive disease and death far from his bed.”

Este é o poema que o Rei Charles William escreveu sobre a palavra Abracadabra. Ao ler este poema não podemos deixar de sentir o grande e enorme poder desta palavra, cuja origem nunca se chegou a definir por completo. Fontes sugerem o Aramaico ou o Hebreu como origem desta palavra, mas segundo Helena Blavatsky a teoria de Godfrey Higgins estava quase certa, pois segundo este tinha origem em “Abra” ou “Abar”, o Deus Celta e “Cad”, que significava Santo e era utilizado como um talismã, com a palavra gravada sobre Kameas (uma espécie de quadrado) que era usado sobre o peito por baixo das vestimentas. Helena Blavatsky defendeu assim que o termo Abracadabra era uma derivação da palavra gnóstica “Abraxas”, que por sua vez era uma derivação da antiga palavra copta ou egípcia “não me firas” sendo que os hieróglifos se referiam à divindade como Pai.

Apesar de não se saber em concreto a sua origem, uma coisa é certa a sua poderosa força mágica. Acredita-se desde tempos imemoriais que ela possui a essência de quebrar, afastar e dissolver as energias negativas nas nossas vidas.
Ao desdobrarmos letra por letra e formando um triângulo que acaba na letra “A” este fica com a força subtil da natureza ligada ao elemento fogo, purificador e transformador. Ao mesmo tempo que o desdobramento desta palavra no triângulo gera o arquétipo do número 11, que é a soma do número de letras que compõe esta palavra. Onze linhas compõem o triângulo da construção da própria palavra que gera então grande força e dinamismo. O Tarot também está aqui presente através do arcano Maior número 11 – a Justiça, que representa o equilíbrio entre o espírito e a matéria, a razão e a emoção, o intelecto e o instinto.

A palavra Abracadabra é também um mantra que quando entoado correctamente acreditava-se possuía poderes curativos, para o fazer dever-se-ia entoar o mantra dando mais enfase à letra “A”. Diz-se ainda que se repetir a sequência 49 vezes da base da pirâmide até ao cimo da mesma, lendo linha a linha à medida que sobe e de forma que entoe as palavras que vai lendo, estaremos a falar a linguagem dos Anjos, pois estamos a falar com o coração.

Hoje em dia e apesar do seu sentido ter sido distorcido através da magia, como quando os mágicos fazem um truque e dizem Abracadabra, dando a impressão ao público que estão a invocar poderes sobrenaturais, esta palavra continua a possuir fortes emanações quando utilizada correctamente. Pode usar um triângulo feito por si num papel com a palavra Abracadabra escrita, quando pressentir que alguma energia negativa se aproxima de si e está a ganhar força. Pode ser ainda usado na sua carteira, debaixo do teclado do computador ou no debaixo do tapete de entrada na sua porta para a proteger de energias negativas, seja como for que o use, tenha sempre presente que ele terá mais poder se não for visto. 
Esteja em paz com a natureza e com o divino, esteja em harmonia com o cosmos, sinta-se livre de invocar palavras com poder mágico para o seu próprio bem estar mas sempre sem ferir os outros. Só assim o universo terá paz, só assim o universo terá o equilíbrio tão necessário ao nosso desenvolvimento espiritual.

MUITA LUZ!

Imagens retiradas de pesquisa na net desconheço os seus autores. 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

DESEJOS DE FELICIDADE!

Para você, desejo o sonho realizado. O amor esperado. A esperança renovada. Para você, desejo todas as cores desta vida. ''Todas as alegrias que puder sorrir. Todas as músicas que puder emocionar. Desejo que os amigos sejam mais cúmplices, que sua família esteja mais unida, que sua vida seja mais bem vivida. Gostaria de lhe desejar tantas coisas. Mas nada seria suficiente... Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos. Desejos grandes e que eles possam-te mover a cada minuto, ao rumo da sua felicidade."
Carlos Drummond de Andrade
Se até os animais são capazes de mostrar amor incondicional e espontâneo, porque é tão difícil ao homem fazê-lo? Se fossemos mais humanos o mundo seria sem dúvida mais bonito. Cabe-nos a todos nós, cada um no seu tempo e à sua maneira contribuir para deixarmos às gerações futuras um mundo muito melhor e mais duradouro, que respeite os recursos naturais, todos os seres vivos e a natureza. Eu pratico este pensamento e você? 
E porque acredito que somos o que fazemos, não se esqueça:

“A Lei da Mente é Implacável,
Tudo o que você pensa, você cria.
Tudo o que você sente, você atrai.
Tudo o que você acredita,
Torna-se realidade!”

BUDA

MUITA LUZ!

Imagens retiradas de pesquisa na net, desconheço os seus autores.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

O LIVRO DO TAO - Ch'uan (COMPLETO)


Quando o olhamos , não o vemos,
E chamamos-lhe o invisível.
Quando o escutamos, não o ouvimos,
E chamamos-lhe o inaudível.
Quando o tocamos, não o seguramos,
E chamamos-lhe o etéreo.

Estes três estados são indecifráveis
E contribuem para o que é uno.

O seu lado de cima não é luminoso,
O seu lado de baixo não é obscuro.

Ele move-se sempre,
Inominável,
E regressa ao seio do nada.

É forma sem forma.
É imagem sem imagem.
De frente, não se lhe vê a face.
Por detrás, não se lhe vêem as costas.

Para alcançares o agora,
Caminha com o antigo Tao.
Descobrir a essência de tudo
Leva-te à sabedoria do caminho.

 Lao Tzu - TAO TE CHING

MUITA LUZ!

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

SUSTENTABILIDADE



Na fila do supermercado, o caixa diz a uma senhora idosa:
- A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis com o ambiente.
A senhora pediu desculpas e disse: - Não havia essa onda verde no meu tempo.
O empregado respondeu: - Esse é exactamente o nosso problema hoje, minha senhora!
Sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso ambiente.
- Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se preocupou adequadamente com o ambiente.
 Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupávamos com o ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhávamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.
Nós não nos preocupávamos com o ambiente. Até então, as fraldas de bebés eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas eléctricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.
Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a electricidade.
Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o ambiente. Bebíamos directamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos.
Canetas: recarregávamos com tinta tantas vezes ao invés de comprar outra. Amolávamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lâmina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.
Então, não é visível que a actual geração fale tanto em "meio ambiente", mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?

MUITA LUZ!

Fontes: Desconheço o autor do texto. Foto retirada de pesquisa na net, desconheço o seu autor.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Hoje estou de rastos, UFA! Tal e qual este menino aqui, a precisar de cama e comida.
Graças a Deus é Sexta-feira e eu já estou a fazer planos para o fim-de-semana. Arranjo sempre muitas coisas que quero fazer e depois? Bem depois não faço nem metade ihih, dá-me uma enorme preguiça no Sábado, no Domingo já estou a pensar que falta pouco para voltar ao trabalho na segunda-feira. Mas estou a tentar combater este mal, ocupando-me ao máximo para não ter tempo de pensar no tempo.
Sabem eu gosto das coisas “sem”, e é por aí que eu ando. Gosto de fazer as coisas “sem” pressa, bater um bolo e colocar no forno Sem correria, gosto de arroz de tomate Sem açúcar, de puré de batata Sem noz-moscada, de mariscos Sem maionese, de pão Sem passas (que só me engordam), de Sábado Sem despertador, de chocolate Sem culpa, de café Sem açúcar, de amor Sem pudor. 

AMO RIR, rio muito, SOU FELIZ, dou e retribuo, AMO e sou AMADA. 
Não questiono, Não imponho, Não abandono! 
AMO FAZER OS OUTROS FELIZES, porquê? 
Porque a Vida fica mais colorida, mais doce, mais quente, mais descontraída, mais decidida. 
RIAM, riam muito, faz bem para a Alma e para o Coração!

Deixo-vos aqui estas fotos lindas, espero que pelo menos vos façam sorrir.
Ohññ que delicia de Minnie, não acham, eu amei!
O avanço das tecnologias...
Não é mesmo?...


Seja você mesmo a sua PRIORIDADE!
A todos desejo um lindo e Iluminado Fim-de-semana.

MUITA LUZ!

Fonte: Fotos retiradas da net, desconheço os seus autores. 

terça-feira, 5 de novembro de 2013

TIRE O PÓ SE FOR PRECISO...


Não deixe as suas panelas brilharem mais do que você!!!! 
Não leve a limpeza ou o trabalho tão a sério! Pense que a camada de pó vai proteger a madeira que está por baixo dela! Uma casa só vai se tornar num lar quando você for capaz de escrever "Eu amo-te" sobre os móveis!

Antigamente eu passava no mínimo 8 horas por semana para manter tudo bem limpo, caso "alguém aparecesse para nos visitar"
- mas depois descobri que ninguém passa "por acaso" para visitar
- todos estão muito ocupados a passear, a se divertir e a aproveitar a vida!
E agora, e se alguém aparecer de repente?
Não tenho que explicar a situação da minha casa a ninguém... ...as pessoas não estão interessadas em saber o que eu fiquei a fazer o dia todo enquanto elas estavam a passear, a se divertir e aproveitar a vida... 

Caso você ainda não se tenha apercebido: A vida é curta, aproveite-a!

Tire o pó... se for preciso... 

Mas não seria melhor pintar um quadro ou escrever uma carta, dar um passeio ou visitar um amigo, fazer um bolo e lamber a colher suja de massa, plantar e regar umas sementinhas? Pese muito bem a diferença entre QUERER e SER PRECISO. 

Tire o pó... se for preciso... 

Mas você não terá muito tempo livre... Para beber champanhe, nadar na praia (ou na piscina), escalar montanhas, brincar com os seus filhos ou com os cachorros, ouvir música e ler livros, cultivar os amigos e aproveitar a vida. 

Tire o pó... se for preciso... 

Mas a vida continua lá fora, o sol ilumina os olhos, o vento agita os cabelos, as gotas da chuva caem  mansamente... Pense bem, este dia não voltará jamais! 

Tire o pó... se for preciso... 

Mas, não se esqueça de que você vai envelhecer e muita coisa não será mais assim tão fácil de fazer como agora. 

E quando você partir, como todos nós partiremos um dia, também vai virar pó. 
Ninguém vai se lembrar de quantas contas você tirou o pó (trabalhou) pagou, nem de sua casa tão limpinha, mas vão se lembrar da sua amizade, da sua alegria e do que você ensinou. 

Afinal: "Não é o que você juntou, e sim o que você espalhou que reflecte como você viveu a sua vida." 


MUITA LUZ!

Fonte: Recebi este texto por email, não pude deixar de o partilhar com todos vocês. Foto retirada da net, desconheço o seu autor. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...