terça-feira, 30 de julho de 2013

BLOGAGEM COLECTIVA - ESTE É O MEU TEXTO DE PARTICIPAÇÂO


UMA ESTRELA CHAMADA FÉ
Amanda ficou olhando para a tela de seu PC sem entender o porquê alguém escrevera aquilo, com que intuito? Queria poder entender o que faz uma pessoa ser tão amarga e cruel cometer tamanha violência em escrever palavras tão duras e sem coerência. Será que era uma pessoa conhecida ou meramente passara por ali e resolvera descarregar todo seu ódio e dor em uma única pessoa que teve a infelicidade de estar em seu caminho virtual. Pensou ser uma figura feminina pela maneira de escrever talvez estivesse enganada. Ela e seu único amigo que fizera no curso de psicologia ficavam analisando as pessoas em segredo, não profissionalmente e sim por pura diversão. A muito queria deixar o curso por não se adaptar, não era o que sonhara para sua vida, porem o que queria realmente não importava. ter um diploma em mãos seria o maior orgulho para seus tutores. Voltou a se fixar na tela, sempre se distraia quando lembrava no quanto estava infeliz, será que a intenção daquela pessoa cruel era acabar ainda mais com seus dias?
Resolveu então fazer uma análise mais aprofundada daquela mensagem e o que estava por detrás dela. Pela primeira vez na vida sentiu um arrepio na espinha, aquelas palavras duras e amargas eram um sinal, pensou. Olhou de novo para a tela e teve a certeza, repetiu para si mesma, é mesmo o sinal de que eu tanto precisava.
Amanda, não era uma pessoa crente, há muito que deixara de acreditar fosse no que fosse, depois de perder a família num trágico acidente, os seus tios acolheram-na em sua casa e ficaram como seus tutores, eram muito boas pessoas, acreditavam em Deus e iam à missa todos os Domingos de manhã, claro que ela os acompanhava, mas só por cortesia porque tudo aquilo nada lhe dizia. Um dia ao regressarem da missa a tia disse-lhe:
- Amanda, estou bastante preocupada contigo, estás sempre apática, não participas na missa nem nada te parece entusiasmar.
- Tem razão tia, desculpe, não a quis ofender, nem envergonhar na missa, mas se eu não rezo é porque já não acredito em Deus. Se deus existe, porque é que me deixou sem a minha família? Não acha que para uma criança de seis anos, perder o pai, a mãe e o irmão naquele estúpido acidente, é cruel demais?
- Amanda, acho que seja cruel e que deves de ter sentido que o mundo caiu em cima de ti, de tão pesado que ficou, mas isso não é motivo para culpares a Deus. Com o tempo verás que tudo tem um motivo de ser, os desígnios de Deus são insondáveis. Tu tornaste-te uma bela mulher, nós tomámos conta de ti e fizemos o melhor que pudemos, para nós és como uma filha, mas sinto que a partir daqui tens de ser tu mesma a achar o teu caminho.
- Desculpe tia. Respondeu Amanda abraçando a tia aos soluços. – Eu adoro-vos, só que sinto-me perdida, só isso.
- Sabes minha filha, tu não acreditas em Deus, nem tens por isso Fé, como queres tu ter esperança sem Fé? Se queres encontrar o teu caminho, encontra primeiro dentro de ti própria, a tua própria Fé, aprende a gostar de ti, mas principalmente procura dentro do teu coração quem tu és realmente, pois só aí terás a resposta que procuras há tanto tempo.
Amanda ainda tinha bem presente esta conversa que tivera com a tia na sua cabeça, não conseguia deixar de pensar nas suas palavras e agora isto escrito na tela, queria mesmo dizer algo. Levantou-se e tomou uma decisão.
- Tia vou sair, vou anular a minha matrícula do curso de psicologia, já o devia de ter feito há muito.
- Amanda, tens a certeza? Sabes ter um curso ajuda muito a encontrar um emprego estável.
- Lamento tia, mas eu não quero um emprego estável, quero fazer algo em que seja eu própria a dar o melhor de mim, a fazer aquilo que melhor souber fazer, mas que seja de alma e coração sem pensar no ordenado ao fim do mês. Lamento desiludi-la. Fechou a porta e saiu.
Sentia-se mais leve, muito melhor ao sair da faculdade, não sabia o que iria fazer dali para diante, uma coisa tinha a certeza, não ia fazer mais aquilo que realmente não gostasse. O dia estava lindo, cheio de sol, atravessou o parque calmamente e pela primeira vez, depois de passar ali todos os dias é que reparou no chilrear das andorinhas e nos seus voos atarefados a fazer os ninhos. Estranho, pensou, como é que eu não as vi antes? Resolveu sentar-se numa esplanada que havia no parque e tomar um refresco, apetecia-lhe estar sozinha. Foi então que reparou numa senhora que gesticulava e que chamava bastante atenção. Ficou intrigada e resolveu ir verificar o que se passava.
- Desculpe, posso ajudá-la de alguma forma?
- Tem graça, é a primeira pessoa que se me dirige a mim a oferecer ajuda. A menina gosta de animais?
- Sim, gosto muito, quando tinha seis anos tive um cão o patudo, mas morreu…
- Como é que te chamas?
- Amanda. E a senhora?
- Rosária.
Amanda ficou em estado de choque por uns momentos, recompôs-se e só foi capaz de dizer: - A minha mãe também se chamava Rosária.
- Hum, disse Rosária, queres acompanhar-me até à minha casa? Bem, não é propriamente uma casa, deixa avisar-te que é mais um refúgio que eu criei para todos os meus amigos e eu também vivo lá.
- Ok, aceito, agora deixou-me curiosa.
- Sabes Amanda eu estava lá no parque a reclamar porque as pessoas são más, não tem coração. Sabias que todos os dias abandonam no parque muitos animais? Este que trago agora connosco foi abandonado há bocado, por um senhor, confrontei-o quando o vi largar o animal e virar as costas, ele não gostou do que lhe disse e assim que se começou a juntar muita gente e antes de tu chegares ele fugiu, deixando este pobrezinho para trás.
- Estou chocada Rosária, não fazia idéia. Mas que horror, que maldade!
- Bem minha amiga, chegamos ao “refúgio da bicharada” da mãe Rosária, sabes é assim que eu lhe chamo, porque eu sinto-me mãe de todos eles. Dizendo isto abriu os portões. Amanda estava sem palavras, parecia que se tinha aberto uma porta para um outro mundo. Cães, gatos, pássaros, tartarugas, poquinhos-da-índia e até um burro velhinho ali estavam.
- Rosária, meu Deus como é que consegue tratar de todos estes animais, cuidar das suas feridas e alimentá-los. Recebe alguma ajuda do governo?
- Rosária neste momento ria a bom rir. Ajuda do governo, ó minha filha se eu estivesse à espera disso, já tínhamos morrido todos. Não, não possuo ajuda do estado, dependo apenas da boa vontade alheia, dos donativos que me dão, de pessoas de bom coração que por vezes aqui me vêem ajudar a cuidar deles e que sempre trazem consigo um pacote de ração ou algo mais.
- Só isso? Exclamou Amanda. Mas isso é uma incerteza todos os dias, como é que a Rosária sabe que, quando se levanta de manhã que vai ter comida suficiente para todos os animais? E os medicamentos?
- Certezas não tenho. Mas vou-te confessar uma coisa, mesmo naqueles dias em que o alimento é pouco para todos, levanto a cabeça para o céu e agradeço a Deus, pelo pouco alimento que lhes estou a dar, agradeço a Deus porque junto com a pouca comida que estão a receber, consigo lhes dar junto com a ração, uma porção extra, que é todo o amor e carinho de meu coração. Aí sim, nessa altura eu tenho a certeza de que estão bem alimentados, tanto fisicamente como espiritualmente, por isso fico tranquila e penso que está tudo bem.
- E depois? Se acaba de dar tudo o que tinha como é que sabe que vai arranjar mais para amanhã?
- Amanda, só existe um jeito de saber isso. Com muita Fé!
A Fé faz milagres, sabias? Se tivermos Fé, acreditamos. Se acreditamos, tudo pode acontecer. Se tudo pode acontecer, então é porque aprendemos a confiar. Se confiamos é porque temos a certeza de que na sua infinita bondade Deus pai, nunca nos abandona, por isso sigo em frente dia após dia, sem questionar, sem me lamentar e não levo nada comigo quando saio para a rua além da minha profunda Fé, mas trago de volta ao fim do dia, além de mais amigos de quatro patas, claro, sacos de ração e almas bondosas como tu.
Amanda tinha agora os olhos rasos de lágrimas, olhou em volta e viu a expressão de gratidão e de ternura com que todos aqueles olhinhos a fitavam. Abraçou a Rosária com muita força e entre soluços fortes disse:
- Bem haja, por cuidar deles. Bem haja por me ter ajudado, pois estava perdida. Rosária, posso trabalhar aqui consigo e ajudá-la a cuidar de todos estes patudos?
- Claro que sim, nada me faria mais feliz do que ter-te aqui todos os dias.
Amanda, passou pelos portões da quinta da Rosária em alta velocidade, mal podia esperar por chegar a casa, até sentia o estômago às voltas de tanta emoção e alegria.
- Tia, Tio quero contar-lhes uma coisa muito importante, sentem-se.
- O que se passa, estás a deixar-nos preocupados.
- Não está tudo bem, não se preocupem. A tia lembra-se daquela conversa que teve comigo à saída da missa?
- Sim.
- Pois é, hoje quando saí da faculdade depois de anular o curso, aconteceu-me algo extraordinário. Descobri que Deus existe, não da forma como me tinha sido ensinado, mas existe sob a forma de pequenas atitudes, sob a forma de pessoas aqui na terra que dão tudo de si para ajudar os outros. Deus existe mesmo nas pequenas coisas! Descobri também que a Fé mora dentro de cada um de nós, e que nada mais é do que uma estrela pequenina que nos aquece a alma, mesmo nos dias em que tudo parece ir mal, é aí que ela começa a brilhar tanto, mas tanto, que nos obriga a andar para a frente, então é nessa altura que os milagres acontecem!
Eu descobri que também tenho,
uma estrelinha chamada FÉ!!!

MIA PÚRPURA (Ana Maria)
                   

sexta-feira, 26 de julho de 2013


Ainda que Não Falem a Mesma Língua,
Partilham os Mesmos Sentimentos,
E Amam-se Incondicionalmente!
Assim é a Natureza, Simples.
MIA PÚRPURA

MUITA LUZ!

quinta-feira, 25 de julho de 2013

PAPA FRANCISCO


Que Deus o abençoe também a si Papa Francisco.
Sem dúvida o Líder espiritual que tanta falta fazia na Igreja Católica.
Tal como S.S. o Dalai Lama promove e luta pela paz e união entre os povos do mundo, chega agora mais uma voz a do Papa Francisco, para se juntar a esta batalha pacífica, pela fim das guerras, pelo fim da fome, pelo fim do sofrimento entre tantas outras coisas, pela 
PAZ NO MUNDO!

MUITA LUZ!




terça-feira, 23 de julho de 2013

O LOBO E O BURRO DOS TEMPOS MODERNOS

Esta história já não é uma história recente, mas não posso deixar de a partilhar aqui convosco porque além de muito comovente e ternurenta ela é verdadeira. 

No dia 9 de Maio de 2007, foi capturado um lobo, perto de Patok, no Norte da Albânia e foi colocado numa jaula aberta. Como não sabia de que o alimentar, tornou-se mais fácil para o seu captor fornecer-lhe "comida viva", ou seja nada mais nada menos do que um burro muito velho, que tinha sido abandonado pelos seus proprietários devido à sua avançada idade. 
É aqui que o inesperado aconteceu!
O lobo que supostamente deveria de atacar e comer o burro, pois foi com essa intenção e malvadez que o homem colocou os dois animais nesta delicada situação, olharam um nos olhos do outro e tornaram-se amigos!!!
O homem que capturou o lobo era conhecido pela sua ganância, prepotência, egoísmo e por ser um homem violento, mas nem todas estas péssimas qualidades a subjugar estas duas almas, as impediu de criar uma amizade e um elo tão grande um pelo outro que se tornaram inseparáveis!

O caso tornou-se público na Albânia e cerca de 12.000 pessoas escreveram ao Governo Albanês a pedir que a vida do burro fosse poupada e que o lobo fosse solto em liberdade. Os cidadãos exerceram tanta pressão, até recorreram à televisão para expor o caso e conseguiram finalmente que os dois animais fossem libertados e livres do cativeiro deste homem sem escrúpulos. 

Conta-se que o burro pastava livremente pelos pastos e que o lobo de tempos a tempos descia das montanhas para o visitar e ficavam algum tempo juntos. 

MUITA LUZ!

Imagem retirada de :http://write-andride.blogspot.pt/2012/04/wolf-and-donkey-modern-parable.html

Para consulta visite: http://www.gut-aiderbichl.at/aktetier/aktetier_1038.pdf

quinta-feira, 11 de julho de 2013


“As coisas não existem da maneira que pensam os homens comuns e ignorantes da Verdade: elas existem no sentido de que não têm realidade própria. E desde que elas não existam na realidade, são uma ilusão que é decorrente da ignorância. É a essa ilusão que se apegam os homens ignorantes da Verdade. Eles consideram todas as coisas como reais, quando, na verdade, nenhuma é real.”

MUITA LUZ!

Imagem retirada de pesquisa na net, desconheço o autor

segunda-feira, 8 de julho de 2013

A SABEDORIA DOS ÍNDIOS


O Deus que habita no meu coração,
Saúda o Deus que habita no seu coração.
Mais radiante do que o Sol. 
Mais puro que a neve. 
Mais subtil que o éter.
Esse é o Ser, o Espírito dentro do coração de cada um de nós.
Esse ser sou eu,
Esse ser é você,
 Somos todos nós.
 Ele está em si,
 Ele está em todo o lado.


MUITA LUZ!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...