segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

NATAL E HUMANIDADE NOS VOSSOS CORAÇÕES!


“Esta é a Minha Simples Religião.
Não Há Necessidade de Templos;
Não Há Necessidade de Filosofias Complicadas.
Só o Nosso Cérebro,
E o Nosso Coração
São o Nosso Templo;
A Filosofia Existente é
A Bondade.”
S.S. Dalai Lama

Desejo a todos um Natal cheio de Paz.

Não desejo prendinhas no sapatinho, pois não acredito ser esse o espírito do Natal. Desejo antes que todas as famílias se possam reunir em volta de uma mesa onde exista comida suficiente para que todos se saciem, mesa onde não haja sobras para o dia seguinte devido a tanta fartura, mas antes uma mesa onde sobre isso sim, abraços e muita ternura para com os mais idosos e onde os animais também sejam comtemplados. Desejo que para muitos de Vós Haja um Tecto para Vos Proteger do Frio, e uma Mão que segure a Vossa, para Vos Aquecer o Coração.


Desejo do fundo do meu humilde Ser, que o vosso Natal seja repleto não de Consumismo,
Mas de Humanidade!


Beijinhos de Luz nos Vossos Corações.

Muita Luz!
Ana Maria 

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

O PODER DA PAZ - S.CHAGDUD TULKU RINPOCHE


"É meu desejo que o poder espiritual da paz toque cada pessoa na Terra, irradiando de uma paz profunda em nossa mente, atravessando as fronteiras políticas e religiosas, e indo além das fronteiras do ego e da convicção de sermos os donos da verdade. Nossa primeira tarefa como pacifistas é remover os conflitos internos causados pela ignorância, raiva, apego, inveja e orgulho. Nós deveríamos buscar uma paz interior tão pura e estável, que seria impossível sermos levados pela raiva diante daqueles que lucram e vivem com a guerra, ou pelo autocentrismo e medo daqueles que nos confrontam com desprezo e ódio.
Uma paciência extraordinária é necessária para que trabalhemos pela paz mundial, e a fonte dessa paciência é a paz interior. Esta paz nos permite ver claramente que a guerra e o sofrimento são os reflexos externos dos venenos da mente. A diferença essencial entre os pacifistas e aqueles que promovem a guerra é que os primeiros têm disciplina e controle sobre a raiva egoísta, o apego, a inveja e o orgulho, ao passo que os outros, devido à ignorância, fazem com que esses venenos se manifestem no mundo. Se você realmente entender isto, nunca se permitirá ser derrotado interna ou externamente.
No Budismo Tibetano, o pavão é o símbolo do bodisatva, o guerreiro desperto que trabalha pela iluminação de todos os seres. É dito que o pavão se alimenta de plantas venenosas, mas transforma o veneno nas cores magníficas de suas penas, sem se intoxicar. Da mesma forma, nós, que defendemos a paz mundial, não podemos nos envenenar com a raiva. O trabalho pela paz é um caminho espiritual em si mesmo, um meio de desenvolver as qualidades perfeitas da mente e testá-las em situações de necessidade urgente, sofrimento extremo e morte. Não tenha receio de dar-lhe seu tempo, energia e apoio."

S. Ema. Chagdud Tulku Rinpoche
MUITA LUZ!
Foto retirada de pesquisa na net, desconheço o seu autor. 

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

DISSERTAÇÕES SOBRE A PUTA DA VIDA

Bem, dissertações ou desabafos, o que é certo é que tanto uma como a outra me estão na alma a martelar constantemente. Que me perdoem os mais púdicos o título do tema da minha escrita, mas por vezes estes arcaísmos que utilizo para expressar o mais profundis de mim, caem que nem ginjas!

Vou começar pelo começo, pelo menos aquele que eu conheço.
Quando eu era pequena, e pequena julgam vocês com 4 a 5 anos, mas estão redondamente enganados, porque pequena na minha humilde história era quando eu tinha meses de idade e estava deitada na minha cama de grades e via as caras enormes e horrorosas das pessoas que se espremiam para entrarem dentro da minha cama a me aterrorizarem ainda mais, com os seus sorrisos estranhos e bafos de se desmaiar, creio que em 1965 não era muito popular lavarem-se os dentes, era mais o palitar ao fim das refeições, pois dava sempre jeito um naquito de carne que lá se enfiava no meio dos dentes e que depois se podia mastigar mais tarde. Bem, talvez qui ça, venha daí a minha natural aversão por pessoas. Também nunca ninguém me explicou que eu teria de vir a lidar no meu dia-a-dia com estas pessoas estranhas, porque se mo tivessem dito na altura, era mais que certo que eu teria pegado no meu biberon, na minha almofada querida de sumaúma e nos meus almanaques do Patinhas e tinha desalvorado dali para fora, mas não, ali permaneci embalada pela mentira e pela esperança de que iria ter uma vida promissora.

Promissora só se foi pelas atribulações constantes a que fui submetida, sem pormenores sórdidos e explicações detalhadas, porque isso já nós temos em horário nobre nos telejornais, a única coisa que vos posso garantir é que me eduquei o melhor que pude, não tive referências que me guiassem, nem quem me protegesse ou defendesse, apesar disso, fiz o melhor que pude por mim. Aprendi com muitos erros, esfolei mãos e joelhos, fiquei muitas vezes transformada em um monte de cacos velhos, mas tratei das minhas feridas e segui em frente, também não tinha a quem me queixar, nem habituada estava a tal mordomia, desde que me conheço gente, que lá em casa não nos podíamos queixar, era aguentar e mais nada. 
Ninguém me orientou, ninguém me avisou que as decisões que tomamos hoje, seriam o nosso dia de amanhã, escolhido por nós. Aprendi às minhas custas que nunca poderei culpar ninguém sobre nenhuma situação que hoje menos me agrade, pois fui eu que a escolhi! Não quero de modo algum parecer vítima, nem coitadinha ao escrever estas palavras, porque não o sou de todo! Eu sou muito senhora do meu nariz, (um dos meus defeitos),e não mudava nadinha da minha vida pessoal, os meus filhos são a única coisa que realmente AMO na vida, dou sem pestanejar, nem hesitar a minha vida por cada um deles, deixo ao critério de quem manda lá em cima como me dividir para dar metade de mim igualzinho a cada um. Dar-lhes-ei sempre tudo, tudo o que precisarem e que desejarem, desde que eu ache razoável, é claro. 
Quanto à minha vida profissional, eu mudaria muito, mas mesmo muito, não gosto de estar fechada num escritório a ver as horas e os dias a passar e a receber uma miséria de salário pelo meu precioso tempo, se fosse hoje à 22 anos atrás eu teria mesmo sem salário me dedicado àquilo que realmente me ocupa a alma, ajudar os outros. Teria ignorado as vozes que me fizeram estar hoje na situação em que estou e estaria no meio dos pobres e sem abrigo sem salário mas feliz. Como é que eu teria criado os meus filhos? Fazendo artesanato, andando de feira em feira, trabalhando aqui e ali. Confesso que tenho alma de saltimbanco, ser hippie está-me na massa do sangue. Tenho de controlar estes ímpetos, pois vivo numa sociedade de betão em que a natureza para esta gente só existe para um bando de privilegiados que possuí casa de férias fora da cidade, mas em condomínios fechados, e este é o conceito deles de natureza... 
Ao atingir a faixa dos 50 e já falta tão pouco, o meu coração chora por falta dos elementais, da natureza, da humildade de quem abre a porta e oferece um naco de pão e um copo de vinho, anseio pelas gentes onde existe sempre lugar para mais um e um prato de sopa é uma iguaria oferecida com todo o amor.
Nunca vou dizer aos meus filhos qual o melhor caminho a seguirem, ou qual o certo e o errado, terão de o descobrir por si mesmos, e não me importo de correr o risco de me culparem das suas más escolhas. Tenho plena consciência de que lhes transmiti tudo o que precisam para serem felizes na vida, basta que para isso ouçam a sua vozinha interior e a sigam. Eu estarei sempre por perto, mesmo que alguns quilómetros nos separem algum dia, pois o meu coração não pertence à cidade, aqui morro a cada dia que passa. A minha alma precisa de liberdade. Como eu costumo dizer “Eu não hei-de morrer sem ter a minha casinha no campo”, e ao contrário de algumas pessoas que afirmam ser um sonho meu, daqui a uns tempos vão ficar de boca aberta literalmente ao ver que o que era um sonho tornou-se realidade. Dinheiro para comprar uma casa no campo, sinceramente eu não tenho, já me perguntaram de onde virá o dinheiro? Respondi, que eu tenho muitos amigos, os Gnomos, os Elfos e todos os elementais. Riram-se muito de mim e da minha resposta. Se isso me incomoda? Não. Os meus filhos acreditam em mim e eu acredito naquilo que acredito. O resto? Não existe!!!


Nunca deixem de acreditar em algo que vos vem do fundo de vocês mesmos só porque não se encaixa na sociedade, não deixem que vos matem as vossas certezas, porque simplesmente as qualificam de sonhos. Sonhar para mim, é quando algo é inatingível, impossível de realizar a não ser por um milagre. Mas quando acreditamos mesmo em algo que vem do fundo de nós, que nos está enraizado na alma, meus amigos deixem que vos diga, isso não é nenhum sonho, isso é a vossa realidade nua e crua! Lutem por ela, por mais estranha que pareça, por mais que vos digam que nunca vai ser possível concretizá-la, lutem, pois no fim da estrada ela estará lá à vossa espera. E o vosso contentamento e sorriso encherão o mundo de glória, pois nesse momento vocês terão alcançado a Paz porque que tanto lutaram!!!
MIA PÚRPURA.

MUITA LUZ!

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

CONFÚCIO

"Guardando silêncio quando deve falar, o homem pode perder-se. Falando quando deve ficar silencioso, perde as suas palavras.           O homem sábio é cuidadoso em observar uma coisa e outra."
Confúcio


MUITA LUZ!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

É O GRANDE ESPÍRITO GAIA QUEM ESCREVE...


Amados Filhos Meus, 
Partes de Mim Mesma, Filhos do Meu Coração. Coração dos corpos físicos que usam como Seres Eternos que Sois, não temam.
Não sou uma parte separada neste sistema solar de Tudo Que Existe Em Expansão. Sou uma de Suas partes. 
Comigo Sois agora em meu chão e em minhas atmosferas, em mais Um destes inimagináveis Ciclos. Em que o tempo passa cada vez mais rápido, porque vai deixando de medir distância. E o passado vem juntando-se ao presente. Este sim, um grande Presente para vocês, filhos meus.
Meu grande coração está disparando em seu pulsar. Mas meu choro é de alegria. 
Infinita alegria de poder vos oferecer mais uma vez, o que Sou.
Sem as chagas que provocaram e provocam em mim, um grande sofrimento. Sofrimento físico e mais ainda, sofrimento do grande coração de Mãe de vosso reino. Reino que Habitais fisicamente.

Um grande Mestre que amais diz agora: Há muitas moradas, esta é Vossa morada. Ele me faz chorar e sou grata pelo choro que cura minhas chagas. 
Assim como Vosso choro cura Vossas chagas.
Lembrar-vos-ei agora o que esquecestes porque o Mestre da Fé assim me diz:
Muito já lestes em tudo que foi dito e exemplificado.
Agora é o tempo de se lerem a Si próprios. Ler o que Vós Sois, não o que dizem que sois.
Eu Sou a Real Fé porque creio em Mim. Existo, porque creio em Mim.
Crede em Vós, e relembrarão o Real sentimento da Fé. 
Verão então que a realidade do Vosso Coração não são as vossas múltiplas personalidades.
Vossos Corações Reais são plenos de Tesouros Inalienáveis. 
Queiram ou não, uma Nova Sociedade está em formação. São os vossos próprios Anseios.
Até que outros meios sejam criados, o que realmente teriam para oferecer sem energia eléctrica? Sem dinheiro?
De todos os Tesouros que a Fé lhes mostrará, qual o que lhe traria maior prazer ao oferecer?
Em minha derradeira encarnação, escrevi uma idéia. Chamou-se Utopia.
Muito Me honraria se quiserem melhorá-la, para estes tempos. Vocês têm os meios para isso. E em outros que o desejarem.
Porque agora, tendes ainda os meios eletrônicos para - entre si - trocarem idéias. Idéias entre Almas eternas. Não mais como seres mortais.
Pouco tempo, mas têm.
Praticai, para que se torne telepatia no início e a simples troca de sentimentos depois.
E então conhecerão o Paraíso.
Aí mesmo, no Planeta Azul.
Então o Guardião de Vosso Mundo, comovidamente, dançará com a Sua Mãe como Par da primeira Valsa, que abrirá a grande festa. Tocada por uma grande orquestra, com o som de instrumentos naturais.


Miriam Carvalho 
(Colaboradora do site Somos Todos Um)

MUITA LUZ!

domingo, 24 de novembro de 2013

ABRACADABRA

Thou shalt on paper write the spell divine,
Abracadabra called, in many a line,
Each under each in even order place,
But the last letter in each line efface.
As by degrees the elements grow few
Still take away, but fix the residue,
Till at the last one letter stands alone,
And the while dwindles to a tapering cone.
Tie this about the neck with flaxen string,
Mighty the good ‘twill to the patient bring.
Its wondrous potency shall guard his head.
And drive disease and death far from his bed.”

Este é o poema que o Rei Charles William escreveu sobre a palavra Abracadabra. Ao ler este poema não podemos deixar de sentir o grande e enorme poder desta palavra, cuja origem nunca se chegou a definir por completo. Fontes sugerem o Aramaico ou o Hebreu como origem desta palavra, mas segundo Helena Blavatsky a teoria de Godfrey Higgins estava quase certa, pois segundo este tinha origem em “Abra” ou “Abar”, o Deus Celta e “Cad”, que significava Santo e era utilizado como um talismã, com a palavra gravada sobre Kameas (uma espécie de quadrado) que era usado sobre o peito por baixo das vestimentas. Helena Blavatsky defendeu assim que o termo Abracadabra era uma derivação da palavra gnóstica “Abraxas”, que por sua vez era uma derivação da antiga palavra copta ou egípcia “não me firas” sendo que os hieróglifos se referiam à divindade como Pai.

Apesar de não se saber em concreto a sua origem, uma coisa é certa a sua poderosa força mágica. Acredita-se desde tempos imemoriais que ela possui a essência de quebrar, afastar e dissolver as energias negativas nas nossas vidas.
Ao desdobrarmos letra por letra e formando um triângulo que acaba na letra “A” este fica com a força subtil da natureza ligada ao elemento fogo, purificador e transformador. Ao mesmo tempo que o desdobramento desta palavra no triângulo gera o arquétipo do número 11, que é a soma do número de letras que compõe esta palavra. Onze linhas compõem o triângulo da construção da própria palavra que gera então grande força e dinamismo. O Tarot também está aqui presente através do arcano Maior número 11 – a Justiça, que representa o equilíbrio entre o espírito e a matéria, a razão e a emoção, o intelecto e o instinto.

A palavra Abracadabra é também um mantra que quando entoado correctamente acreditava-se possuía poderes curativos, para o fazer dever-se-ia entoar o mantra dando mais enfase à letra “A”. Diz-se ainda que se repetir a sequência 49 vezes da base da pirâmide até ao cimo da mesma, lendo linha a linha à medida que sobe e de forma que entoe as palavras que vai lendo, estaremos a falar a linguagem dos Anjos, pois estamos a falar com o coração.

Hoje em dia e apesar do seu sentido ter sido distorcido através da magia, como quando os mágicos fazem um truque e dizem Abracadabra, dando a impressão ao público que estão a invocar poderes sobrenaturais, esta palavra continua a possuir fortes emanações quando utilizada correctamente. Pode usar um triângulo feito por si num papel com a palavra Abracadabra escrita, quando pressentir que alguma energia negativa se aproxima de si e está a ganhar força. Pode ser ainda usado na sua carteira, debaixo do teclado do computador ou no debaixo do tapete de entrada na sua porta para a proteger de energias negativas, seja como for que o use, tenha sempre presente que ele terá mais poder se não for visto. 
Esteja em paz com a natureza e com o divino, esteja em harmonia com o cosmos, sinta-se livre de invocar palavras com poder mágico para o seu próprio bem estar mas sempre sem ferir os outros. Só assim o universo terá paz, só assim o universo terá o equilíbrio tão necessário ao nosso desenvolvimento espiritual.

MUITA LUZ!

Imagens retiradas de pesquisa na net desconheço os seus autores. 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

DESEJOS DE FELICIDADE!

Para você, desejo o sonho realizado. O amor esperado. A esperança renovada. Para você, desejo todas as cores desta vida. ''Todas as alegrias que puder sorrir. Todas as músicas que puder emocionar. Desejo que os amigos sejam mais cúmplices, que sua família esteja mais unida, que sua vida seja mais bem vivida. Gostaria de lhe desejar tantas coisas. Mas nada seria suficiente... Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos. Desejos grandes e que eles possam-te mover a cada minuto, ao rumo da sua felicidade."
Carlos Drummond de Andrade
Se até os animais são capazes de mostrar amor incondicional e espontâneo, porque é tão difícil ao homem fazê-lo? Se fossemos mais humanos o mundo seria sem dúvida mais bonito. Cabe-nos a todos nós, cada um no seu tempo e à sua maneira contribuir para deixarmos às gerações futuras um mundo muito melhor e mais duradouro, que respeite os recursos naturais, todos os seres vivos e a natureza. Eu pratico este pensamento e você? 
E porque acredito que somos o que fazemos, não se esqueça:

“A Lei da Mente é Implacável,
Tudo o que você pensa, você cria.
Tudo o que você sente, você atrai.
Tudo o que você acredita,
Torna-se realidade!”

BUDA

MUITA LUZ!

Imagens retiradas de pesquisa na net, desconheço os seus autores.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

O LIVRO DO TAO - Ch'uan (COMPLETO)


Quando o olhamos , não o vemos,
E chamamos-lhe o invisível.
Quando o escutamos, não o ouvimos,
E chamamos-lhe o inaudível.
Quando o tocamos, não o seguramos,
E chamamos-lhe o etéreo.

Estes três estados são indecifráveis
E contribuem para o que é uno.

O seu lado de cima não é luminoso,
O seu lado de baixo não é obscuro.

Ele move-se sempre,
Inominável,
E regressa ao seio do nada.

É forma sem forma.
É imagem sem imagem.
De frente, não se lhe vê a face.
Por detrás, não se lhe vêem as costas.

Para alcançares o agora,
Caminha com o antigo Tao.
Descobrir a essência de tudo
Leva-te à sabedoria do caminho.

 Lao Tzu - TAO TE CHING

MUITA LUZ!

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

SUSTENTABILIDADE



Na fila do supermercado, o caixa diz a uma senhora idosa:
- A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis com o ambiente.
A senhora pediu desculpas e disse: - Não havia essa onda verde no meu tempo.
O empregado respondeu: - Esse é exactamente o nosso problema hoje, minha senhora!
Sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso ambiente.
- Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se preocupou adequadamente com o ambiente.
 Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupávamos com o ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhávamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.
Nós não nos preocupávamos com o ambiente. Até então, as fraldas de bebés eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas eléctricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.
Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a electricidade.
Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o ambiente. Bebíamos directamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos.
Canetas: recarregávamos com tinta tantas vezes ao invés de comprar outra. Amolávamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lâmina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.
Então, não é visível que a actual geração fale tanto em "meio ambiente", mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?

MUITA LUZ!

Fontes: Desconheço o autor do texto. Foto retirada de pesquisa na net, desconheço o seu autor.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Hoje estou de rastos, UFA! Tal e qual este menino aqui, a precisar de cama e comida.
Graças a Deus é Sexta-feira e eu já estou a fazer planos para o fim-de-semana. Arranjo sempre muitas coisas que quero fazer e depois? Bem depois não faço nem metade ihih, dá-me uma enorme preguiça no Sábado, no Domingo já estou a pensar que falta pouco para voltar ao trabalho na segunda-feira. Mas estou a tentar combater este mal, ocupando-me ao máximo para não ter tempo de pensar no tempo.
Sabem eu gosto das coisas “sem”, e é por aí que eu ando. Gosto de fazer as coisas “sem” pressa, bater um bolo e colocar no forno Sem correria, gosto de arroz de tomate Sem açúcar, de puré de batata Sem noz-moscada, de mariscos Sem maionese, de pão Sem passas (que só me engordam), de Sábado Sem despertador, de chocolate Sem culpa, de café Sem açúcar, de amor Sem pudor. 

AMO RIR, rio muito, SOU FELIZ, dou e retribuo, AMO e sou AMADA. 
Não questiono, Não imponho, Não abandono! 
AMO FAZER OS OUTROS FELIZES, porquê? 
Porque a Vida fica mais colorida, mais doce, mais quente, mais descontraída, mais decidida. 
RIAM, riam muito, faz bem para a Alma e para o Coração!

Deixo-vos aqui estas fotos lindas, espero que pelo menos vos façam sorrir.
Ohññ que delicia de Minnie, não acham, eu amei!
O avanço das tecnologias...
Não é mesmo?...


Seja você mesmo a sua PRIORIDADE!
A todos desejo um lindo e Iluminado Fim-de-semana.

MUITA LUZ!

Fonte: Fotos retiradas da net, desconheço os seus autores. 

terça-feira, 5 de novembro de 2013

TIRE O PÓ SE FOR PRECISO...


Não deixe as suas panelas brilharem mais do que você!!!! 
Não leve a limpeza ou o trabalho tão a sério! Pense que a camada de pó vai proteger a madeira que está por baixo dela! Uma casa só vai se tornar num lar quando você for capaz de escrever "Eu amo-te" sobre os móveis!

Antigamente eu passava no mínimo 8 horas por semana para manter tudo bem limpo, caso "alguém aparecesse para nos visitar"
- mas depois descobri que ninguém passa "por acaso" para visitar
- todos estão muito ocupados a passear, a se divertir e a aproveitar a vida!
E agora, e se alguém aparecer de repente?
Não tenho que explicar a situação da minha casa a ninguém... ...as pessoas não estão interessadas em saber o que eu fiquei a fazer o dia todo enquanto elas estavam a passear, a se divertir e aproveitar a vida... 

Caso você ainda não se tenha apercebido: A vida é curta, aproveite-a!

Tire o pó... se for preciso... 

Mas não seria melhor pintar um quadro ou escrever uma carta, dar um passeio ou visitar um amigo, fazer um bolo e lamber a colher suja de massa, plantar e regar umas sementinhas? Pese muito bem a diferença entre QUERER e SER PRECISO. 

Tire o pó... se for preciso... 

Mas você não terá muito tempo livre... Para beber champanhe, nadar na praia (ou na piscina), escalar montanhas, brincar com os seus filhos ou com os cachorros, ouvir música e ler livros, cultivar os amigos e aproveitar a vida. 

Tire o pó... se for preciso... 

Mas a vida continua lá fora, o sol ilumina os olhos, o vento agita os cabelos, as gotas da chuva caem  mansamente... Pense bem, este dia não voltará jamais! 

Tire o pó... se for preciso... 

Mas, não se esqueça de que você vai envelhecer e muita coisa não será mais assim tão fácil de fazer como agora. 

E quando você partir, como todos nós partiremos um dia, também vai virar pó. 
Ninguém vai se lembrar de quantas contas você tirou o pó (trabalhou) pagou, nem de sua casa tão limpinha, mas vão se lembrar da sua amizade, da sua alegria e do que você ensinou. 

Afinal: "Não é o que você juntou, e sim o que você espalhou que reflecte como você viveu a sua vida." 


MUITA LUZ!

Fonte: Recebi este texto por email, não pude deixar de o partilhar com todos vocês. Foto retirada da net, desconheço o seu autor. 

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

LUA - FELIZ ANIVERSÁRIO!

Amiga, a vida é assim mesmo, ela é feita de quedas e mais importante ainda é feita de momentos em que nos levantamos e seguimos em frente, movidos pelo desafio de tentar, sim mais que não seja, tentar. Porque sabemos que a cada nova tentativa, os nossos sonhos vão brilhar de novo.

Aproveite amada este dia para simplesmente disfrutar de todas as coisas boas que realmente fazem você feliz e desejo que a sua vida seja um mar repleto e cheio de emoções, alegrias e conquistas.

Bem, na verdade eu só quero-lhe dizer…

FELIZ ANIVERSÁRIO LUA!

Faça-me o favor de ser feliz!

MUITA LUZ!


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

SAMHAÍN - 31 OUTUBRO/1 NOVEMBRO


E Assim estou eu a preparar-me para amanhã celebrar o SAMHAÍN.
Se quiser celebrar de acordo com a mitologia e costumes celtas, consulte o meu post sobre o Samhaín aqui:http://otapetecolorido.blogspot.pt/search/label/Cultura%20e%20Mitologia%20Celta



Eu vou entrar em sintonia com a Deusa e vou pedir muitas bênçãos e prosperidade para todos os meus amigos e família.

E não se esqueça nesta noite de Samhaín, o estacionamento vai ser assim.


Desejo-vos um Iluminado e Próspero SAMHAÍN.

MUITA LUZ! 

terça-feira, 29 de outubro de 2013


MUITA LUZ!


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

LIÇÃO DE VIDA


Mas Não Permita
Que o Usem.
AME
Mas Não Permita que o Seu
Coração Sofra.
CONFIE
Mas Não Seja Ingénuo.
OUÇA
Mas Não Perca A sua
Própria Voz.

MIA PÚRPURA

MUITA LUZ!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

TARTARUGA RECEBE BARBATANAS DE BORRACHA DEPOIS DE TER SOFRIDO UM ATAQUE DE UM TUBARÃO



Yu, é uma tartaruga-comum que perdeu as barbatanas dianteiras em 2008, mas que já pode nadar, depois de ter experimentado nada mais, nada menos do que 27 pares de próteses especialmente concebidos para ela. A tartaruga fêmea que pesa aproximadamente 90 kg usa agora um colete preto, onde as barbatanas de borracha estão ligadas, depois de já ter experimentado muitas outras versões que a apertavam demasiado e causavam desconforto ou simplesmente saíam do seu corpo.

Yu vive no Suma Aqualife Park, perto de Kobe no Japão, depois de os seus membros terem sido supostamente arrancados por um ataque de tubarão. O aquário acredita que esta é a primeira tartaruga no mundo a conseguir nadar sem problemas com próteses de borracha. Yu tornou-se assim numa atracção turística, pensa-se que ela tenha aproximadamente 25 anos de idade.

Parabéns ao esforço de todos os que tornaram possível esta realidade e à tecnologia que permitiu deste modo dar uma nova esperança de vida a esta tartaruga em vias de extinção.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O QUE FAZER QUANDO ENCONTRA UM ANIMAL SELVAGEM FERIDO


1 - Aproxime-se cautelosamente, usando uma toalha ou manta para cobrir o animal, de modo a que este não o possa ferir enquanto se debate.

2 - Se tiver uma caixa de cartão, preferencialmente apenas um pouco maior do que o animal em si, coloque-o lá dentro, perfurando-a previamente. Se não tiver, enrole a toalha que usou à volta do animal para lhe limitar os movimentos, de forma a proteger-se a si e a ele próprio. Se tiver luvas grossas – de cabedal ou de jardinagem – use-as.

3 - Contacte as entidades para procederem à recolha do animal e o encaminharem para os Centros de Recuperação de Animais Selvagens ( SEPNA-GNR, Parque/Reserva Natural...). Poderá contactar directamente um Centro de Recuperação de Fauna Selvagem. 

4 - Até à recolha mantenha o animal num local calmo, escuro e aquecido. Evite contactos excessivos. Não lhe dê alimento nem medicação.

5 - Recolha todas informações sobre o local e condições em que o encontrou (ex: junto a uma estrada, linha de água, reserva de caça, linha eléctrica...).

6 - Se não se sentir confortável a manipular o animal, contacte directamente o SEPNA e vigie-o para garantir que ele não se esconde antes de chegar ajuda.

7 - Durante as épocas de reprodução pode encontrar crias de ave no chão e pensar estarem feridas. Muitas vezes caíram apenas do ninho na primeira tentativa de voo ou passeio, estando bem e continuando a ser alimentadas pelos progenitores. Nestes casos tente verificar se os progenitores se encontram na zona ou se a ave está realmente ferida (com sangue ou muito debilitada). Pode colocá-la num ramo mais alto para não estar tão desprotegida no chão. Se em caso de dúvida a recolher para entregar às autoridades, registe bem o local onde foi encontrada, pois pode ser possível devolvê-la ao ninho, uma vez avaliada e tratada.


Nesta altura do ano em Outubro encontram-se muitos abutres, pois são aves que estão a fazer a sua migração para o norte de África e não encontram alimento, acabando por ser encontradas nos telhados ou mesmo na estrada. Também existe uma fase no ano em que se encontram mais animais selvagens feridos devido aos tiros, é na época da caça. Depois outra fase que começa agora, é a das marés vivas, em que entram aves marinhas debilitadas que por causa do mar agressivo e que não se conseguem alimentar. Em Janeiro começam a chegar as crias de aves de rapina nocturnas e depois, em Maio, há o pico das aves de rapina diurnas”. Como vêem existe sempre devido a causas naturais ou humanas, muitas possibilidades de encontrarmos animais selvagens a necessitar de ajuda. Se nós partirmos uma perna, ligamos o 112 e a ambulância virá nos buscar e levar ao hospital para nos socorrer, infelizmente os animais não tem tanta sorte e dependem de nós para fazermos chegar essa ajuda o mais rápido possível. Deixo aqui este alerta e o modo de como devemos de agir em caso de nos depararmos com um animal selvagem ferido, pois a maior parte das vezes apesar da nossa boa vontade, esquecemo-nos de que a intervenção humana deve sempre de ser a menor possível, para que os animais não se habituem a nós, pois quando isso acontece esses animais tornam-se irrecuperáveis, devido a estarem tão habituados à nossa solicitude que não iriam sobreviver muito tempo sozinhos, o que de todo é uma situação lamentável, pois nenhum animal selvagem irá ser feliz e pleno em cativeiro. Sempre que possível contacte as autoridades para ser accionado o plano de salvamento e resgate destes animais pelos responsáveis competentes nessas áreas, como veterinários qualificados e centros de recuperação de animais existentes em Portugal.
Contactar:
SEPNA – GNR: 213217000 (Direcção Lisboa) - Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da Guarda Nacional Republicana.
Linha SOS Ambiente e território: 808200520 (24h)

Ou Contactar o Parque natural ou a Área Protegida mais próxima.  

Lembre-se de que os animais precisam da nossa ajuda, no caso de se deparar com um animal nestas condições, não fique indiferente, AJUDE!

MUITA LUZ!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...