segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FELIZ ANO NOVO 2013



"Acredito que o objectivo da nossa vida seja a busca da felicidade. Isso está claro. Quer se acredite em religião ou não, quer se acredite nesta religião ou naquela, todos nós buscamos algo melhor na nossa vida. Portanto, acho que a motivação da nossa vida é a felicidade."
Sua Santidade Dalai Lama


Quero desejar a todos que este Novo Ano de 2013 vos traga muita Felicidade, Saúde, Prosperidade e muitas Bênçãos.

Que 2013 vos seja Propício e Auspicioso em tudo aquilo que necessitarem e que desejarem. São os meus votos sinceros.

Obrigada a todos pela vosso Carinho e Amizade!

MIA PÚRPURA

MUITA LUZ!

Fontes: 1ª imagem retirada de pesquisa na net, desconheço o autor.
            2ª imagem retirada de: http://zendobrasil.org.br/



quarta-feira, 26 de dezembro de 2012



A Tua Essência,
Não é na Verdade
Aquilo que Demonstras;
Mas o que se Depreende
Daquilo que tu Fazes.

MIA PÚRPURA

MUITA LUZ!

Imagem retirada da net, desconheço o autor

domingo, 23 de dezembro de 2012

A ESTRELA

Estava Deus, a caminhar, sossegadamente, pelo universo... Contemplava sua criação, e, aproveitando o passeio, verificava se tudo estava correndo bem. Em certo ponto de sua caminhada, deparou-se com uma de suas estrelas, num choro compulsivo... Com certa tristeza, aproximou-se e perguntou docemente: -- Por que choras, minha filha? A pobre estrela, aos prantos, mal conseguia falar: -- Sabe, meu Pai... Estou triste... Não consigo achar uma razão para a minha existência... O sol, com toda a sua magnitude, fornece calor, luz e energia às pessoas... As estrelas cadentes, incentivam paixões e sonhos... Os cometas, geram dúvidas e mistérios... E eu, aqui... parada... Deus ouviu tudo atentamente... Com doçura e paciência, decidiu explicar à estrela os porquês, porém, foi interrompido por uma voz, que vinha de longe... Era uma criança, que caminhava com sua mãe, em um dos planetas da região... A criança dizia à sua mãe: -- Veja mamãe! O dia já vai nascer! A mãe ficou meio confusa... Como podia, uma criança, que mal sabia as horas, saber que o sol já nasceria, mesmo estando tão escuro? -- Como você sabe disso, meu filho? -- Veja aquela estrela! Papai me disse que ela anuncia o novo dia. Ela sempre aparece pouco antes do sol, e aponta o lugar de onde o sol vai sair... Ouvindo aquilo, a estrela pôs-se a chorar... Deus, calmamente lhe falou: -- Podes ver? Sabes agora, o motivo de tua existência? Tudo o que criei, fiz por alguma razão de ser. És a estrela que anuncia o novo dia. E com o novo dia, renovam-se as esperanças, os sonhos... E serves para orientar os homens, para onde caminhar. Ao te ver, sabem que não estão perdidos, pois sabem qual o seu destino. A estrela ouviu tudo atentamente... Sentiu uma alegria celestial invadindo sua vida... A partir de então, ela brilhou cada vez mais, pois sabia que era importante e indispensável ao ciclo da vida. 

Todos nós temos uma razão para estarmos aqui... Mesmo se não soubermos qual é exactamente esta razão, devemos viver a vida intensamente, semeando amor e espalhando alegrias... Só assim, a estrela que habita em nossos corações brilhará mais forte, iluminando a todos que estão à nossa volta. Fazendo isso, estaremos iluminando nossas próprias vidas.

Desejo a Todos um Auspicioso e Iluminado Natal.

MUITA LUZ!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A FONTE DA SAÚDE



Amélia era uma menina muito simpática. Na aldeia onde morava todos gostavam muito dela, porque estava sempre disposta a ajudar quem necessitasse, levava os sacos das mulheres que vinham do mercado, guardava segredos e todas as tardes ia a casa de Dona Beatriz contar-lhe uma história. A pobrezinha estava muito velhinha e quase não via, por isso a Amélia entretinha-a a ler-lhe histórias.

Um dia, a mãe de Amélia não conseguiu levantar-se da cama. O médico pediu-lhe para deitar a língua de fora, tomou-lhe o pulso, pôs-lhe o termómetro e acabou por lhe receitar umas vitaminas que não fizeram nada. E o caso era preocupante, porque a cada dia que passava a mulher ia ficando com pior aspecto. Amélia e o pai estavam muito preocupados, de tal modo que até a levaram ao hospital onde lhe fizeram muitos exames, utilizando todos aqueles aparelhos que são tão esquisitos que até nos assustam um pouco, mas nada, nenhum médico descobria o que se passava com a mãe da Amélia.

A menina foi visitar a Dona Beatriz e contou-lhe o que se passava com a sua mãe, para ver se a anciã que tinha vivido muito a podia ajudar.
- Eu não te posso ajudar, querida, mas pede ajuda aos gnomos.
- Aos gnomos? Mas gnomos não existem no mundo real, só nas histórias, Dona Beatriz!
- Há muitas coisas neste mundo real, como tu lhe chamas, que não conseguem ser vistas com os olhos. É preciso olhá-las com a imaginação e imaginação não te falta – continuou a velhinha – as tuas histórias são tão bonitas que até parece que os gnomos vêm sentar-se no parapeito da minha janela para te escutarem. Não há nada de que gostem mais do que uma história bem contada!
- Mas… - a menina não queria acreditar no que ouvia.
- Experimenta. Olha para a janela do canto do olho e pensa que os vais ver. No princípio parece difícil, mas depois…
Amélia seguiu o conselho de Dona Beatriz… E nada. Quando estava quase a desistir pareceu-lhe ver um movimento.
- Estás a vê-los? – Perguntou a Dona Beatriz – estás a vê-los?
Realmente estava a vê-los. Sobre o parapeito da janela estavam quatro homenzinhos muito pequenos, que lhe acenavam. Amélia apresentou-se e contou-lhes o que se passava. O Rei dos gnomos, que era um dos que costumavam ir ouvi-la, disse-lhe:
- Espera aí, eu já volto. Vou ver a tua mãe.
E desapareceu. Pouco tempo depois, quando voltou a aparecer, olhou para a Amélia com um ar preocupado:
- A tua mãe tem uma ferida muito pequena no pé direito. Deve de ter pisado um objecto pertencente a um dos duendes travessos, um objecto maligno infectado e por isso a ferida está a consumi-la.
- E não se pode fazer nada? – Perguntou a menina.
- A tua mãe só se salvará se lhe lavares a ferida com Água da Fonte da Saúde. Mas a fonte pertence a esses duendes malvados, uma espécie de pequenos trols tão maus como os seus irmãos mais velhos…
- Tenho de conseguir um pouco dessa água! – Interrompeu a menina.
- … E o pior é que essa água só pode ser transportada na taça de Olgum, um recipiente mágico que também se encontra em poder desse povo. E não pode ser derramada só uma gota! – Terminou o gnomo. – Deixa-me pensar no assunto e amanhã digo-te se encontrei alguma solução.
No dia seguinte, a menina chegou a casa de Dona Beatriz muito mais cedo do que habitual.
- Falei com o meu povo e decidimos ajudar-te – comunicou-lhe o Rei. – Mas tens de nos prometer que vais continuar a contar-nos histórias tão belas como a que acabaste de nos contar.
- Claro! – Respondeu Amélia – Que devo fazer?
Os gnomos acompanharam a menina à aldeia dos duendes. O Rei disse-lhe que esperasse escondida, atrás de uma grande rocha. Então os gnomos aproximaram-se dos duendes e estes furiosos começaram a persegui-los, foi nessa altura que a Amélia aproveitou e entrou num casebre onde estava guardada a tala de Olgum, para a encher de água na Fonte da Saúde e sair a correr.
Os gnomos desorientaram os duendes, transformando-se em cogumelos, pedras e outras coisas do bosque. Os duendes muito aborrecidos não tiveram outro remédio senão voltar para casa.
Amélia por seu lado, teve o bom senso de tapar a boca da Taça de Olgum, para não entornar nem uma gota da água milagrosa… O que foi bastante difícil, pois a taça (que tinha muito mau feitio) tentou morder-lhe um dedo. No entanto conseguiu mantê-la tapada, colocando-lhe por cima a palma da mão muito aberta, enquanto corria.
Finalmente, chegou a sua casa com a água da Fonte da Saúde e a primeira coisa que fez foi lavar cuidadosamente a ferida da mãe. De imediato ela começou a ganhar cor e, em poucos dias, recuperou por completo, para grande alegria da Amélia e do seu pai.
A menina cumpriu a promessa que fizera ao Rei dos gnomos, e todas as tardes, voltava a casa de Dona Beatriz, para contar as suas histórias a ela e à multidão de gnomos que se sentavam no parapeito da janela. 

Texto extraído do livro:
 O Bosque Encantado – “A Lenda Dos Gnomos” de Fernando Martínez.

MUITA LUZ!



sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

CICLO DA VIDA - IMPERMANÊNCIA


E eis que o tão temido dia chegou. Nunca quis imaginar, nem sequer pensar sequer ao de leve que fosse, que tinha chegado a hora da minha Avó partir. A matriarca, a Anciã da família sempre ali esteve por nós, amparou, auxiliou, amou! Ela é tudo para mim, ela é tudo na irmã, ela é tudo em nós. A minha querida Avó, já passou por algumas, bem, bastantes provações terrenas, tanto físicas como espirituais. Partiu alguns ossos, fez cirurgias inclusive ao coração e resistiu. Sempre nos habituou a que conseguia resistir. Habituou-nos tão mal, que fiquei egoísta e dei comigo mesma a pedir durante a noite em minhas orações para que a minha Avó resistisse mais uma vez e conseguisse ultrapassar mais este obstáculo. Só agora é que me dou conta realmente de que nós os familiares, possuímos grande responsabilidade nestas alturas, pois eu em lugar de ajudar só estou a atrapalhar com os meus pedidos egoístas e inapropriados para a altura em que a minha querida Avó se prepara para o desencarne. Dei conta de mim agora neste preciso momento a reflectir, quem somos nós para saber se determinada pessoa deve ou não de ficar por cá? Aprendi hoje, que não se deve de orar a pedir nem para a pessoa em questão partir, nem muito menos ficar, sob a pena de sofrimento dessa mesma alma, que assim não cumprirá dividida o seu processo de evolução. Eu sei que esta matéria é muito complicada, por um lado queremos que nossos entes queridos fiquem, pelo amor que lhes temos, que é ao mesmo tempo um amor por nós próprios, reflectido na pessoa querida. E por outro lado, não queremos que sofra, não é mesmo? Pois infelizmente, assim é a natureza humana. Aprendi agora que ainda tenho muito que aprender, e tenho sobretudo que aprender o desapego espiritual, porque o desapego material já eu pratico, mas o desapago espiritual é muito mais complicado para mim. Ficar sem ver nem falar com a pessoa querida, é mesmo difícil, mas tenho de aceitar que espiritualmente e depois que o espirito desencarnado, estiver habituado à sua nova condição, e mais em harmonia, poderá sempre que quiser e dependendo da sua evolução visitar-me e entrar em contacto comigo. Temos de regressar ao mundo antigo em que fazíamos a comunicação telepaticamente e nos comunicávamos sem fala, quem sabe assim temos mais sossego e deixamos partir mais tranquilamente os nossos entes queridos? Hoje reflicto sobre a morte, não como um fim, mas como o princípio da vida noutro plano. O princípio da vida imaterial, sem corpo onde o espirito livre do invólucro, pode livremente se purificar e curar para a próxima etapa da sua evolução. Pois se todos nós, independentemente da nossa cor, raça ou credo, ambicionamos todos o mesmo. O fim do sofrimento e a paz, tão necessárias à nossa evolução. Uma coisa é certa, quem parte necessita de paz para poder subir e evoluir, mas quem fica também necessita de paz para crescer, pois se não o fizer sofrerá o dobro aquando do seu próprio desencarne e prejudica os espíritos que desencarnam com os seus pensamentos inferiores e apegos.


O que é a vida senão mais do que um longo aprendizado que não termina com a chegada da morte? Mesmo depois de uma noite tenebrosa, chega o alvorecer tão radiante do dia, com raios de sol esplendorosos. Assim é o ciclo da vida, renascimento e morte, como o conhecemos, até que finalmente consigamos atingir um estado iluminado onde então cessaremos o ciclo de renascimentos para podermos alcançar a tão desejada paz e trabalharmos afincadamente no auxílio da evolução da humanidade.

Vou orar para que a minha Avó Rosária encontre a paz que tanto deseja e merece ao fim destes 95 anos de vida, vou orar a pedir à Deusa/Deus para que seja feita a sua vontade antes da minha, porque acredito na pureza do Amor, na Sabedoria e na Bondade. Desejando a todo o instante o fim do sofrimento de todos os seres sencientes, desejo que o teu sofrimento também termine, para que possas finalmente descansar em paz Avó!

Porque acredito que na minha ignorância, aprendi hoje mais uma grande lição, onde nós não passamos de meros espectadores no palco da vida.

Na minha inferioridade, uno-me às energias superiores para que seja dada alguma utilidade à minha parca compreensão do mundo terreno. Para que um dia tudo o que absorvo possa ter alguma utilidade e servir algum propósito. 

Por agora, aguardo em silêncio em oração.
MIA PÚRPURA.

MUITA LUZ!


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

FAMÍLIA



Talvez consigas encontrar no dinheiro,
Um pouco de felicidade.
Talvez consigas encontrar nas tuas amizades
Um pouco de alegria.
Talvez consigas encontrar na medicina
A cura para as tuas maleitas.
Mas o verdadeiro Amor, esse
Só o encontrarás na tua família!
MIA PÚRPURA

MUITA LUZ!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

DIA 10 DEZEMBRO - DIA INTERNACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS



"O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer."

Hoje celebra-se o Dia Internacional dos Direitos Humanos. Os Direitos Humanos são os Direitos e Liberdades Básicos de Todos os Seres Humanos. Geralmente o Conceito de Direitos Humanos pressupõe a Idéia também de Liberdade de Pensamentos e Expressão e a Igualdade Perante a Lei.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, afirma no seu Artigo 1º que:

“Todos os Seres Humanos Nascem Livres e Iguais em Dignidade e em Direitos. Dotados de Razão e de Consciência, devem de Agir Uns para com os Outros em Espírito de Fraternidade".

Eu faço parte da Amnistia Internacional, e convido-vos a fazer parte da Maratona de Cartas, que é uma Iniciativa Global da Amnistia Internacional, que visa anualmente promover o envio massivo de cartas e postais por parte de activistas de todo o mundo, contra as violações dos Direitos Humanos. De 07 de Dezembro a 16 de Dezembro, milhares de pessoas espalhadas por todo o mundo têm a oportunidade de assinar cartas em prol de indivíduos em risco. O objectivo é chamar a atenção para estes casos particulares e melhorar a condição destes indivíduos, o que geralmente e a avaliar pelos anos anteriores é conseguido. 
Pode participar desta maratona de cartas em:

MUITA LUZ!    

                               Imagem retirada de pesquisa na net, desconheço o autor                                                                                                       
                                                                       

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012


Faltam só 14 dias para o Solstício de Inverno.
À parte dramatismos de gente fanática acerca do fim do mundo, estamos prestes a entrar em mais uma fase do ciclo da roda Celta. Que eu acredito que  se irá desenrolar como normalmente, pois apesar de tão maltratada e ofendida a Mãe Natureza possui a capacidade de se renovar a cada instante. Se assim não fosse, já cá não estaríamos, não é mesmo?
Desejo a todos um Iluminado Fim de Semana.

MUITA LUZ!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

LISBOA - DECORAÇÕES NATAL 2012

Lisboa hoje tem estado todo o dia sob chuva, mas continua linda!
Terreiro do paço
Basílica da Estrela

O ano passado Lisboa nesta altura de natal, estava triste, sem luzes nem alegria, o motivo foi estarmos em crise. Este ano e apesar de continuarmos em crise, a Câmara Municipal de Lisboa, resolveu colocar outra vez as luzes de natal, tão tradicionais na nossa Baixa Lisboeta, menos opulentas e vistosas é certo, mas que já serviram para nos alegrar a alma! 
Como dizia o meu pai, é nos tempos de crise que se deve de mostrar a beleza!
 Rotunda do Marquês de Pombal

Rua do Ouro

Baixa-Chiado

Rossio

 Bola gigante, linda!

Terreiro do Paço

Avenida da Liberdade

MUITA LUZ!


quarta-feira, 5 de dezembro de 2012



O Mundo é Tão Grande e Majestoso
E, no Entanto,
Contempla a Insignificância de Mim mesmo
Proporcionando-me uma Grandiosidade Extrema
Através da Minha Não Existência…

MIA PÚRPURA

MUITA LUZ!

Imagem retirada de pesquisa na net, desconheço o autor

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...