segunda-feira, 12 de março de 2012

GALVEIAS - JOSÉ LUÍS PEIXOTO

Sou Alentejana nasci em Galveias, Distrito de Portalegre, terra para mim muito querida não só pelos tempos maravilhosos que lá passei, mas também pelo carisma e pela maneira peculiar com que a vida lá sempre se desenrolava. Todos se conheciam lá na terra, como aliás em todas as terras, mas nas Galveias era diferente. O cheiro que se sentia no ar assim que passávamos o "Senhor das Almas" era inconfundível, eu e a minha irmã sentavamo-nos logo muito direitinhas no banco de trás do carro à espera de ver a placa a dizer "Galveias". Passando o jardim nós espreitávamos logo para o cimo da rua à procura da minha Tia Joaninha, que estava sempre ao cimo da rua no seu Talho. Era só o meu pai parar o carro em frente ao talho que nós as duas saíamos a correr disparadas, abraçavamos a minha Tia Joaninha, e íamos dar um grande beijinho à Maria Velez (Badeca), que estava sempre sentada em frente à porta da minha tia, daí era uma correria até à casa da minha Avó Rosária, onde faziámos uma festa só de ver a nossa querida Avó! Eu e a minha irmã nessa altura entreolhávamo-nos como que para termos a certeza de que as férias tinham começado!

É daqui que eu tenho a honra de conhecer um grande escritor cheio de contrastes e de histórias e de memórias umas passadas, outras por vir chamado José Luís Peixoto. Lembro-me do José Luís bem pequenino e traquinas, sempre muito vivo e a correr. Lembro-me da minha Avó Rosária lhe dar uma maçã e de ele estar escondido atrás da saia da sua mãe, e a minha Avó lhe perguntar: Então agora já gostas da Ti Rosária? Não respondeu ele, agora gosto é da maçã!

Vale a pena ler José Luís Peixoto, não importa que livro dele você escolha, porque vai passar a fazer parte de um mundo rico, simples e cheio de personagens únicas, muitas das quais eu sinto que conheço de toda uma vida.
Mas este mês de Março não perca a Revista A Volta ao Mundo.
José Luís Peixoto escreveu toda a revista à laia de um livro do princípio ao fim, como destino Miami, Pequim e Moscovo, além de outros destinos já antes visitados por José Luís. O Autor brinda-nos ainda com nove poemas inéditos. Além de nos levar a passear por este mundo fora, passeamos ao som das suas palavras sempre tão sublimes e tão simples como um Bom Dia em Alentejano!

MUITA LUZ!

Imagem retirada de pesquisa na net, desconheço o autor

4 comentários:

  1. OLA AMIGA OBRIGADA PELO CARINHO, SIM O JAPAO TEM FORÇA. ACREDITA QUE AINDA TREME ALGUMAS VEZES E ELES AINDA ASSIM MESMO NAO DESISTEM, ESTAO NOS ABRIGOS A ESPERA DE UMA SOLUÇAO DO GOVERNO, ESSE LIVRO PARECE SER OTMO PRA LER NE AMIGA, QUE PENA QUE NO JAPAO E DIFICIL DE ACHAR...BEIJOSSSSSSSSSSSS NEUSA

    ResponderEliminar
  2. Amiga Neusa, o povo Japonês é que está certo, nada de baixar os braços :)
    Se vc quiser eu posso tentar enviar para vc.
    beijinhos de luz1
    Ana Maria

    ResponderEliminar
  3. Como disse nossa amiga Neusa, o livro parece ótimo, mas uma pena aqui ser quase impossível de achar...
    Mas, não se preocupe, quando eu for ai te visitar, compro alguns!!!!
    Essa terra que descravastes deve ser maravilhosa. Com certeza deve ter saudades.
    Fez-me lembrar de minha nona. Uma italiana maravilhosa!!!
    Ah!!! Já te contei que meu bisavô por parte de pai veio de terras lusitanas?!
    Beijocas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora fiquei intrigada, no Japão não existem bancas que vendam coisas de outros paises? Tem tanta gente de outras nacionalidades, que eu achava que existia livros e revistas em outras línguas. Bjs

      Eliminar

Obrigado, o seu comentario estará visível após aprovação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...