terça-feira, 6 de março de 2012

ALIMENTOS GERMINADOS – ALIMENTAÇÃO VIVA!

Alimentos germinados, são nada mais nada menos que os brotos ou rebentos obtidos através da germinação de sementes de cereais, oleaginosas, leguminosas ou mesmo de legumes. Lembra-se daquela experiência que faziamos na escola primária em que tinhamos de germinar um feijão? Pois é disso mesmo que estou a falar. A germinação é algo de extraordinário e poderoso, pois liberta todas as energias latentes contidas nas sementes, dando origem a uma planta. Durante todo este processo, o amido vai ser transformado em açucares mais simples pelas enzimas, ao passo que as proteínas são decompostas em aminoácidos. Dá-se a absorção de grandes quantidades de água, vitaminas e enzimas são sintetizadas e dá-se uma mobilização de minerais.
Tudo isto, aminoácidos, proteínas, ainda não lhe dizem nada? Então continue a ler.

Vou passar a explicar toda a riqueza nutricional de alguns alimentos germinados a título de exemplo:
- No Trigo germinado, a vitamina C aumenta 600% nos primeiros dias da germinação, ao passo que a vitamina E triplica em quatro dias.
- A Soja germinada, duplica o seu teor de provitamina A em 48 horas e atinge os 280% em 54 horas.
- Na sementes de alfafa germinada, couve, lentilhas, grão-de-bico, rábano ou feijão mongo, encontramos vitaminas do grupo B.
- Nas sementes germinadas de arroz, girassol, alfafa, centeio, trigo ou aveia encontramos também      vitamina A.
Convém referir que este tipo de alimentos constitui ainda uma das fontes raras de vitamina B12 de vegetais, tornando-se assim um poderoso aliado dos vegetarianos. Possuem ainda minerais orgânicos fácilmente assimiláveis, como é o caso do cálcio, nos germinados de sementes de girassol e de grão-de-bico. O potássio nas sementes germinadas de sésamo e de feijão mungo. Ou o ferro na alfafa e no feno grego. De salientar a extrema mais valia de os germinados não possuirem colestrol, nem praticamente gorduras saturadas. Outro elemento muito importante nos germinados é a clorofila. Possuem deste modo um elevado valor nutritivo e um baixo teor calórico.

PARA GERMINAR:

É muito simples e fácil.
1º- Colocar de molho as sementes no mínimo 12 horas.
2º - Passar as sementes por água, até que esta esteja limpa.
3º - Colocar as sementes pode ser num frasco de vidro de boca larga, onde coloca um pedaço de naylon (eu compro uma meia de vidro , corto ao meio e é o que uso) na boca do frasco e prende com um elástico. Deixa-se inclinado no lava louças, para escorrer.
4º - Tapa-se com um pano o frasco para que fique isolado da luz directa.
As sementes devem de ser passadas pelo menos duas vezes por dia por água, sendo muito importante que o frasco fique inclinado para que a água escorra, mas para que também haja circulação de ar dentro do próprio frasco. Geralmente a temperatura dentro das nossas cozinhas é boa para germinar, de qualquer modo a temperatura para a maior parte das sementes é entre 20 e 28ºC.


COMO SABER QUANDO AS SEMENTES ESTÃO GERMINADAS:

Os rebentos estão prontos a serem consumidos quando tiverem poucos centimetros de comprimento. Regra geral as sementes demoram em média cerca de 4 a 10 dias, mas depende das sementes e das condições em que o faz, eu mais ou menos guio-me pelo tamanho dos rebentos. 
Existem outros métodos para além deste que eu utilizo, (e que para mim é o mais prático) para germinar sementes, disponíveis no mercado como, o método dos tabuleiros de plástico, cerâmica, madeira e bambu. Neste método os tabuleiros são sobrepostos e perfurados de modo a permitirem a passagem da água de um nível para o outro e a permitirem uma correcta ventilação. Este método apresenta a vantagem de poder germinar vários tipos de sementes ao mesmo tempo. Existe ainda um método mais antigo em que se usa um saco de linho para germinar, em que se deixa a boca do saco aberta e se coloca a escorrer.

Foto de António Lino retirada de: http://apanat.org.br/blog/?p=32
Este é o método dos tabuleiros sobrepostos.

COMO CONSUMIR OS SEUS GERMINADOS:

Podem ser consumidos em saladas crus, ou podem ser consumidos em molhos ou pastas. Mas de preferência utilize-os em guisados, cozidos ou em sopas.
Tenha em atenção que os germinados de grão-de-bico e de feijão só devem de ser consumidos após terem sido cozinhados, de modo a eliminar possíveis agentes patogénicos que possam estar presentes nos brotos.
Depois de serem colhidos, conserve-os no frigirífico para se manterem mais frescos. Um factor muito importante é o facto de durante todo este processo e até serem consumidos, os alimentos germinados não perdem as suas preciosas propriedades, o mesmo já não se pode dizer dos vegetais que ao serem cortados e colhidos começam logo a perder os seus nutrientes.

Aconselho a leitura de:


Actualmente o ritmo do nosso quotidiano não nos permite que nos alimentemos da melhor forma, ao mesmo tempo que a qualidade dos alimentos que ingerimos nem sempre é a melhor, por isso aproveite o valor nutritivo das sementes que temos à mão e
GERMINE, PELA SUA SAÚDE!

MUITA LUZ!

Fontes:
Texto retirado de: Revista Sentidos (publicação Celeiro Dieta/2008), artigo "Benefícios dos alimentos germinados".
As fotos que não estão identificadas, foram retiradas de pesquisa na net, desconheço os seus autores.


2 comentários:

  1. Você sempre me brinda com postagem maravilhosa. A cozinha é uma paixão para mim.

    Tenha uma linda 4ª feira.
    Beijos de arco-iris.
    Lua.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada amiga Lua :)
      Beijinhos de raios de sol.
      Ana Maria

      Eliminar

Obrigado, o seu comentario estará visível após aprovação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...